Escolhendo a tipografia correta para o seu projeto

Seja no design ou no audiovisual, alguns elementos carregam consigo sensações que são despertadas inconscientemente pelo receptor da mensagem. Seja através de um som que remeta a tranquilidade ou a uma cor que sugira calmaria. Nosso cérebro possui o poder de associar tais estímulos à crenças ou a padrões pré estabelecidos pelo nosso subconsciente e evocar emoções diferentes. Isso também acontece com a tipografia. Perceba na imagem abaixo uma mesma mensagem escrita com duas fontes tipográficas diferentes. O entendimento ou a sensação que elas causam, mudam conforme o desenho das letras.

Neste artigo conheceremos um pouco mais sobre alguns estilos tipográficos e veremos algumas dicas de quando utilizarmos cada um deles a fim de atrair a atenção da sua persona.

Serifadas

As fontes serifadas possuem como característica, o prolongamento das serifas, acontecendo no fim das hastes de cada letra. Elas são comumentes utilizadas em blocos de textos maiores, uma vez que entrega uma melhor legibilidade e guiam a leitura. Isso não quer dizer que elas não possam ser utilizadas no desenho de uma marca por exemplo. Muito pelo contrário! As fontes serifadas carregam a sensação de tradição, confiança e de sofisticação que ganharam com o tempo.

Sem serifa (sans Serif)

Ao contrário das fontes serifadas, as sans serif não possuem as linhas prolongadas ao final das letras. Essa característica dá a ela, maior leveza e sensação de organização de conteúdo, tornando-se assim as preferidas quando se trata de títulos, anúncios e também na maioria dos websites.

Cursivas

As tipografias cursivas (também conhecidas como Script ou manuscrita) são aquelas que imitam as letras desenhadas à mão. Um exemplo bastante conhecido, é a família Monotype Corsiva presente principalmente no Microsoft Word e em outros softwares da empresa. Talvez a característica mais marcante é o fato das palavras parecem ser escritas com um único traço já que as letras geralmente são ligadas umas às outras.

Quanto ao uso, as fontes cursivas normalmente são encontradas em convites (principalmente de casamento) e em outros materiais ou projetos que carregam consigo uma certa elegância e personalidade. Procure combinar, junto às fontes cursivas, tipografias serifadas por exemplo. Dão um contraste bastante interessante.

Display

As fontes displays fogem de tudo o que vimos nas opções anteriores. Elas costumam ter características comemorativas e serem enfeitadas que representam (em algumas situações) mais um símbolo do que uma letra propriamente dita, como bichos, desenhos, objetos e outros elementos que remetem à festas, quadrinhos, tecnologia. Elas serão utilizadas em casos muito específicos onde o briefing entregar tal possibilidade.

Visto os principais tipos de fontes tipográficas vale lembrar que para a escolha correta, vale apontar que uma boa ideia é listas, num brainstorming, algumas das qualidade e características que você deseja que seu projeto comunique. Essas informações podem vir de um briefing bem elaborado ou com uma boa conversa com o cliente.

Espero que tenha gostado das dicas. Seu comentário sobre este artigo será muito bem vindo! Até a próxima! 🙂

Deixe seu comentário
Felipe Moura

Designer gráfico há 6 anos, especializado em branding. Formado em Publicidade, Propaganda e Criação pela Universidade Mackenzie de São Paulo.