Áudio e Vídeo Fotografia

Equipamentos básicos para iniciar na fotografia em 2021

Neste guia, vou te apresentar algumas opções em faixas diferentes de valores e diferentes tecnologias, a fim de facilitar sua escolha.

5 meses atrás

Está cada dia mais difícil escolher um equipamento fotográfico. Seja pela quantidade de novos equipamentos e novas tecnologias disponíveis no mercado, seja pelo preço, ou então apenas por não conseguir identificar a real necessidade do que é necessário. Por isso pensar em um kit básico de fotografia pode ficar muito confuso, ainda mais para quem está começando a “ocupar a mochila”.

Além de câmera, lente e flash, quero também indicar um certo tipo de estrutura, como mochilas, recipientes para guardar seus equipas e etc… Para você começar tudo da maneira certa.

Neste guia, vou te apresentar algumas opções em faixas diferentes de valores e diferentes tecnologias, a fim de facilitar sua escolha. Além disso, vamos falar sobre equipamentos de uso curto e de uso longo, indicando um melhor aproveitamento do seu investimento. Uma outra consideração importante é a de que você não precisa ter todos os equipamentos que vou indicar aqui, por isso, vamos iniciar identificando o que você vai precisar.


1. Entenda sua necessidade

Primeiro é muito importante ter uma mínima ideia do que você pretende fotografar. Isso vai guiar o tipo de equipamento que você vai precisar buscar. Por exemplo, um fotógrafo de arquitetura precisa se preocupar com lentes bem amplas e que não causem muita distorção ótica, uma grande angular normal, por exemplo. Já um fotógrafo de retratos, precisa não alterar as proporções do corpo humano, mantendo características reais do seu retratado, então ele precisará de uma lente fixa normal, tipo uma 50mm. Esses são apenas alguns exemplos sobre a importância de ter um objetivo no investimento.

No exemplo acima falamos sobre as lentes, mas com câmera e outros componentes você deve seguir o mesmo raciocínio, ex.: Se você pensa em fotografar esportes e/ou jornalismo, sua câmera precisará fazer muitas fotos por segundo, então este fator guiará sua escolha.

Então o ponto de partida é: O que você pretende fotografar? Depois de resolver essa questão, faça uma pesquisa e entenda quais diferenciais seu equipamento precisa ter. Só vamos ficar atentos quanto ao investimento, que vamos abordar no tópico abaixo.


2. Defina quanto você pode investir

É uma etapa importante do processo. Então faça as contas de modo claro e saiba quanto você pode investir para montar o seu kit, para te dar tranquilidade para trabalhar e ser mais criativo.

Vamos imaginar uma outra situação: Você já tem uma câmera e precisa comprar mais uma lente, então faça seus cálculos e avalie quanto você pode dispor para essa compra. O valor deve ser levado em consideração de modo total, que é quando você pretende comprar o equipamento a vista, ou então através de um parcelamento, planejando esse custo mensal durante o tempo das parcelas, assim você evita entrar em colapso financeiro logo no início.


3. Escolhendo sua câmera

Certo! Agora você já sabe o que você mais quer fotografar, ou pelo menos já tem em vista algumas áreas de interesse, não é!? Já fizemos nossas contas e planejamos essa compra, ou seja, sabemos quanto podemos investir em um equipamento. Então vamos conhecer o que faz sentido comprar em 2021. Todas as marcas têm valores quase parecidos em modelos que prometem o mesmo desempenho, então aqui eu vou citar apenas alguns modelos e marcas, mas a sua pesquisa pode continuar na web, depois de ler todo este artigo.

Na hora de escolher uma marca, a dica é: Opte por uma marca de câmera que seja a mesma que seus amigos tenham. Assim você pode testar os equipamentos, emprestar e evoluir junto também.

3.1 Tipos de Câmeras

Existem dois principais tipos de câmeras disponíveis no mercado, as Mirrorless - câmeras mais tecnológicas e sem o sistema de espelho - e as DSLR - câmeras que usam o sistema de espelho e pentaprisma - e para os dois tipos existem os modelos “de entrada”, que tem sensor “cropado”, ou seja, elas tem um sensor menor do que o tamanho do antigo filme fotográfico, e que são mais acessíveis e com funções um pouco limitadas (Veja bem, eu disse um pouco limitadas. Isso não as tornam câmeras ruins, pelo contrário, elas são ótimas câmeras), passando pelas câmeras cropadas mais avançadas, até as “full frame’’, que são câmeras mais robustas, com sensor maior, proporcionando imagens com mais qualidade.

Veja na imagem abaixo a diferença de sensores:

imagens: canon college.

Levando em consideração o ano (2021) e o que estamos conhecendo em novas tecnologias de câmeras, temos de pensar que precisamos de um equipamento que, pelo menos não esteja defasado tecnologicamente, ou seja, é importante pensar que o equipamento deva ter as mínimas condições para enfrentar o futuro.

Partindo deste ponto, parece que existe uma certa tendência a considerar as mirrorless como uma melhor opção. E essa afirmação não está errada, porém, outros fatores devem ser levados em consideração, afinal, por se tratar de um equipamento mais tecnológico (e tecnologia tem muito valor agregado), as mirrorless acabam sendo um pouco mais caras do que as DSLR.

Porém, existem algumas DSLR mais modernas, que quando utilizadas via LCD (e não via ocular, portanto sem usar o sistema de espelho e pentaprisma), chegam muito perto do modo de uso de uma mirrorless, mas ainda não são. Então é possível investir em câmeras DSLR com um pouco mais de recursos e tecnologia, sem pagar pelo preço de uma mirrorless.

É um tipo de equipamento assim que me refiro quando afirmo que a câmera deve estar preparada para o futuro. Mas não estou dizendo que um equipamento sem essas características é ruim, afinal, foi com equipamentos inferiores a esses que muitos de nós começamos e fizemos grandes trabalhos ao longo da nossa carreira.

Existem ótimas câmeras usadas e um pouco mais antigas, como é o caso da Canon 6D clássica, então é legal avaliar alguns aspectos antes de comprar uma usada. Um detalhe importante que deve ser a primeira informação a ser avaliada é a quantidade de clicks (fotos) que a câmera já fez. As câmeras de entrada costumam trabalhar bem até 150 / 180 mil fotos. Então uma câmera com 60 mil clicks pode ser considerada uma ótima compra. Já câmeras mais robustas, como a própria 6D por exemplo, podem chegar a ter mais de 500 mil clicks e continuam funcionando perfeitamente, então comprar uma dessas com 150 mil clicks, se bem conservada, ainda vai durar muito tempo.

Uma outra informação importante é: A câmera é transitória, você vai comprar uma, ela vai ficar obsoleta, daí você vai trocar por uma melhor e mais nova, então não se prenda muito a um modelo ou outro, compre a que você pode comprar.

DSLRs usadas na faixa de preço entre R$ 1.500,00 até R$ 2.990,00.

Canon T3i, T4i, T5i e T6i são ótimas escolhas para câmeras de entrada um pouco mais antigas. Essas câmeras tem tecnologia muito parecidas, com pequenas evoluções em cada atualização de modelo. Você pode usar esses equipamentos tranquilamente para fazer ensaios, famílias, gestantes, batizados, entre outros. Só não aconselho usar em casamentos, nesses trabalhos é melhor usar um equipamento mais “parrudo”.

Canon 60D e 7D e as Nikon D7000 e D7100 que são câmeras mais robustas, também podem ser encontradas nesta faixa. Com esse equipamento, já é mais recomendado fazer eventos sociais, casamentos, formaturas, etc. São equipamentos que têm características parecidas e também um certo porte de full frame, porém, com sensor cropado.

Neste ponto, o que vai definir o porte da câmera realmente é o tipo de trabalho que você pretende fazer.

DSLRs na faixa de preço entre R$ 3.000,00 até R$ 4.990,00.

Canon T7i, SL2 e SL3 são câmeras de entrada mais tecnológicas, ficando bem perto de uma mirrorless, nesta faixa de preço é possível encontrar tanto opções novas, como também as usadas. São câmeras que tem o sistema de foco dual pixel, que funciona muito bem via LCD. Nesses modelos, assim como é o caso das câmeras de entrada mais antigas, entre essas versões existem apenas pequenas mudanças. Estes modelos são indicados para quem quer iniciar na fotografia já acompanhando as novas evoluções, dentro das áreas de ensaios, famílias, gestantes, pet, entre outros.

Não estou recomendando câmeras de entrada da Nikon, pois os modelos não tem motor de foco interno, o que impossibilita o uso em foco automático de muitas lentes.

Canon 70D, 77D e 80D e a Nikon D7200 usadas e em boas condições começam a ser encontradas também nesta faixa de preço. Essas já são câmeras um pouco mais robustas, quase do porte de uma full frame, elas também têm recursos bem avançados, sistema de foco mais preciso e aguentam qualquer tipo de trabalho.

Uma outra opção nesta faixa de valores são as full frame mais antigas, como Canon 6D clássica e Nikon D610 e D700. Essas câmeras são uns tanques de guerra, que aguentam muito trabalho. É difícil ver alguém que conseguiu zerar uma dessas. Se cuidar bem, a câmera vai durar a vida inteira. E ainda hoje, em 2021, entregam imagens de extrema qualidade, com ótimo alcance dinâmico e sistema de cores. Pau para toda obra!

DSLRs na faixa de preço entre R$ 4.991,00 até R$ 7.900,00.

Nesta faixa de valor começam aparecer equipamentos mais parrudos ainda ou com mais tecnologia, como as Canon 6D mark II, Nikon D750, Canon 5D mark III, entre outras. Dessas, a mais moderna é a 6D mk2, ele é bem atual, inclusive. Ela e a Canon Rp (que veremos mais a frente) são praticamente a mesma câmera, porém, a Rp é mirrorless. Elas têm o mesmo sensor, o mesmo sistema de foco, etc. Já a D750 e 5D mark III são projetos mais antigos, porém, o arquivo que elas entregam é quase o mesmo das mirrorless mais modernas. A D750 ainda tem mais alcance dinâmico do que alguns modelos deste ano. Então nessa faixa de preço, considero muito mais vantajoso ter um modelo desses, em vez de uma Canon 80D nova, por exemplo.

Mirrorless na faixa de preço entre R$ 3.500,00 até R$ 5.500,00

Canon M50, M50 mk2, M5, M6 são ótimas mirrorless de entrada, tecnológicas e com recursos bons para foto e vídeo. Como gravar em 4K, por exemplo. Nesta faixa de preço é possível encontrar também a fuji X-T1, X-Pro 2, X-T20 e também Sony a6500. Todos os modelos têm características e recursos bem parecidos. Indicadas para trabalhos mais leves, como ensaios, no geral.

Mirrorless na faixa de preço entre R$ 5.600,00 até R$ 7.900,00

Aqui a brincadeira com as mirrorless já começa a ficar mais séria. Nessa faixa de preço você consegue algumas usadas muito boas e até algumas novas, como a Canon Rp, uma câmera incrível. A lista aqui tem as Fuji XT-2 e X-T3, Sony a7 II, entre outras. São câmeras incríveis e podem prover tudo o que qualquer fotógrafo mais exigente necessita, tanto em qualidade de imagem, velocidade de foco, alcance dinâmico, entre outras qualidades que esses modelos apresentam.

Todas são ótimas câmeras tanto para upgrade, quanto para quem está iniciando. Observe os custos de cada uma e veja qual é a melhor opção para o que você pretende fazer e faça um investimento consciente.


4. Escolhendo suas lentes:

Com as lentes é um pouco diferente das câmeras, pois é um tipo de equipamento que tem uma durabilidade maior. Eu mesmo uso uma lente 24-70 que foi fabricada no início dos anos 90 e ainda está aqui, funcionando perfeitamente. Então aqui a decisão precisa ser mais assertiva, pois as lentes irão te acompanhar por muito mais tempo.

Vai ser realmente difícil fazer uma lista de todos os modelos disponíveis no mercado, de todas as marcas, então vou citar algumas lentes que considero ter um bom custo/benefício para quem está começando na fotografia.

As lentes estão divididas em Fixas, que são aquelas que não tem zoom, ou seja, se você quiser aproximar um objeto, você terá de ir até perto dele. E as Zoom, que como o próprio nome diz, são objetivas que aproximam e afastam um objeto em relação ao sensor da câmera, através de lentes que se movimentam internamente. E claro que quanto mais sofisticado o projeto da lente, maior o preço, logo as lentes fixas são mais baratas. E o legal é que elas também oferecem melhor qualidade ótica, por se tratar de lentes com menos objetos internos, garantindo assim menos interferência entre a luz e o sensor da câmera.

Mas além do ponto da qualidade e a questão de valor, temos de pensar também em nosso modo de fotografar. Vou dar aqui um exemplo, eu uso lentes fixas há quase 10 anos, porém, recentemente senti a necessidade de ter mais agilidade nos trabalhos de moda e percebi que ficar alternando entre as lentes 35mm, 50mm e 85mm, fazia perder muito tempo nos trabalhos, perdia um certo timing do ensaio, por esse motivo acabei investindo em uma 24-70mm, onde tenho quase toda as distâncias focais das fixas, ajustando só com o zoom. Por enquanto estou gostando e já pude perceber uma diferença nos trabalhos. Mas ainda mantive as lentes fixas, pois em um ensaio beauty, onde posso trabalhar com mais calma, prefiro usar as fixas pela qualidade ótica. Mas veja, não tenha pressa em montar um equipamento assim, com lentes “parecidas”, até considero desnecessário, então foca no que você realmente precisa. Se no futuro você puder ter lentes que trazem um resultado parecido e isso agregar no seu trabalho, aí você avalia o investimento.

Lentes ZOOM:

Sigma 17-50 f/2.8 - aproximadamente R$ 2.000,00 (usada) É uma lente muito versátil para câmeras com sensor cropado e é f/2.8, o que garante maior entrada de luz. Indicações: moda, social, retratos e landscape. Pode ser usada em canon, nikon e sony.

Canon EF 17-40 f/4.0L - aproximadamente R$ 2.500,00 (usada) É uma ótima lente para sensor full frame e muito versátil também. Quando utilizada em sensor cropado ela se comporta como uma 28-65mm, devido ao fator de corte do sensor. Baita range para todo tipo de trabalho. Indicações: moda, social, landscape e arquitetura. As outras marcas também têm lentes dentro desse range, pesquise qual é o modelo da sua.

Canon EF 24-105 f4L - Aproximadamente 3.000,00 (usada) É uma baita lente e é super recomendada para quem usa sensor full frame. É a lente mais querida de fotógrafos de estúdio. Recomendada para todo tipo de situação, porém, a abertura em f/4 exige um pouco mais da sensibilidade ISO da sua câmera. As outras marcas também têm lentes dentro desse range, pesquise qual é o modelo da sua.

Lentes FIXAS:

Canon EF-s 24mm f/2.8 STM - R$ 700,00 usada. É uma lente muito versátil para câmeras com sensor cropado e é f/2.8, o que garante maior entrada de luz, o sistema STM tem foco silencioso e rápido. As outras marcas também têm lentes dentro desse range, pesquise qual é o modelo da sua.

Canon EF 40mm f/2.8 STM - R$ 850,00 usada. É uma lente muito versátil e é f/2.8, o que garante maior entrada de luz, o sistema STM tem foco silencioso e rápido. Nas câmeras cropadas ela se comporta como uma 70mm (aproximadamente), o que traz um desfoque muito bonito também.

Abaixo, vou citar algumas lentes padrão, que todas as marcas têm disponível e algumas paralelas também, como sigma e yongnuo.

24mm e 35mm são as grande angulares que fazem mais sucesso entre fotógrafos de eventos sociais, a grande angulação permite fazer fotos em locais de qualquer tamanho. A 35mm também é ótima para retratos. Vale também olhar valores das marcas paralelas, como yongnuo e sigma. Em câmeras cropadas, elas funcionam como 38mm e 56mm (aproximadamente), devido ao fator de corte do sensor. São encontradas entre R$ 650,00 até mais de R$ 3.000,00, dependendo do modelo e marca.

50mm e 85mm são as lentes preferidas de fotógrafos de moda e retrato. Elas não distorcem a imagem e tornam a composição fotográfica mais fácil, por trazer os planos todos para perto. Vale também olhar valores das marcas paralelas, como yongnuo e sigma. Valores entre R$ 450,00 até mais de R$ 3.000,00


5. Flash, cartão de memória, pilhas e etc:

5.1 Flash - R$ 450,00 até R$ 750,00

Não que seja indispensável, mas uma hora ou outra você vai precisar de um flash, então tenho três conselhos para você: 1 - Tenha um flash, ele vai ser útil em algum momento. 2 - Saiba usar o flash que você tem. 3 - Flash pode ser paralelo, eles são bons e muito mais baratos.

Para escolher um flash, você precisa antes saber quanto você quer iluminar, pois existem modelos mais potentes e menos potentes. Os yongnuo 568ex III ou o godox TT685, são flashes mais potentes, enquanto que modelos como o godox TT350 é um pouco mais fraco em relação TT685. Esses modelos são bem completos, com sistema TTL e Manual, sincronismo de alta velocidade e receptor de sinal de disparo embutido. Então você pode usar esses flashes tanto encaixado em cima da câmera, quanto fora da câmera, em tripés (neste último caso é necessário um rádio flash na câmera para disparar o flash fora da câmera).

E mais uma dica é que esses flashes sempre terão uma sigla no final dos modelos, essas siglas representam qual é a marca de câmera compatível com eles, por exemplo o yongnuo modelo YN-568EX III - C, que é compatível com as câmeras Canon, ou o godox TT685-N, compatível com câmeras Nikon.

5.2 Pilhas - R$ 110,00 em média um jogo de 4 pilhas + R$ 300,00 carregador para 8 pilhas.

Para garantir que seu flash vai disparar e reciclar rápido, você precisa ter pilhas boas e recarregáveis. As alcalinas, além de poluir o meio ambiente, não conseguem alimentar o flash com a velocidade que ele precisa, deixando a reciclagem da luz mais lenta. As recarregáveis, em primeiro momento são mais caras, porém, alguns modelos garantem 2.100 recargas. Isso é muito tempo de uso. Isso faz ela ser muito mais barata do que uma pilha alcalina comum.

Agora vamos levar em consideração outro ponto, que é a retenção de carga da pilha. Essa retenção é um valor medido em mAh (miliampere-hora), ou seja, quanto maior o mAh da pilha, mais tempo ela retém carga e sendo assim, mais vezes o flash consegue disparar por recarga. As pilhas recomendadas são as que variam entre 2.550 mAh e 1900 mAh, porém, quanto maior a amperagem da pilha, menos ciclos de recarga ela aguenta. Um exemplo são as pilhas FUJITSU, que conseguem até 500 recargas nos modelos de 2.450 mAh e até 2.100 recargas em modelos de 1.900 mAh. Independente dos mAh de cada modelo, o preço costuma não variar muito, então você pode escolher de acordo com o seu uso.

5.3 Cartão de memória - a partir de R$ 80,00

Esse não pode falhar, então vai ter de ser um bom cartão de memória. Um, não! Vários. Existem muitas marcas no mercado e você pode escolher a que mais confia, porém, existem modelos diferentes de cartão, mas basicamente são SD, SDHC e SDXC, a diferença entre eles é a capacidade de armazenamento do cartão, sendo o SD com capacidade menor e mais difícil de encontrar atualmente, o SDHC que tem capacidade até 32Gb e o SDXC acima de 32Gb até 2TB. É importante ver qual modelo de cartão a sua câmera suporta.

Você também deve avaliar a classe do seu cartão e a velocidade de gravação. Vamos sempre optar por cartões classe 10, que vão garantir o mínimo de 10mb/s de gravação sequencial. E a velocidade de leitura e escrita, recomenda-se ser no mínimo de 90Mb/s, garantindo que você não vai perder nenhuma foto. Veja na foto como interpretar essas informações nos cartões de memória.


6. Montando seu kit básico:

Imagino que você deve estar se questionando em como você pode começar a se organizar para montar seu Kit Básico, não é? Então, eu vou te ajudar!

Só lembrando que este é um exemplo didático de um tipo de decisão, mas cada caso é um caso, e você deve avaliar o seu.

6.1 O que vou fotografar?

Pretendo fazer retratos de pessoas relevantes, seja pelo seu trabalho, pela sua história, etc… Quero fazer retratos para revistas, empresas, campanhas e também fazer trabalhos comerciais, publicidade, entre outros.

6.2 O que vou precisar?

Uma câmera que entregue uma qualidade de imagem razoável, que uma revista de pequeno porte aceite, porém, eu ainda estou começando e tenho de escolher uma opção viável de equipamento. Uma lente com boa qualidade ótica e zoom, ou então 2 lentes fixas, 35mm e 50mm por exemplo (24mm e 35mm se o uso for em câmera cropada). Precisarei também de um flash, pois vou lidar com situações de luz péssimas. Será necessário um rádio flash também. Cartões de memória, serão 2 de 32Gb, mais 3 jogos de 4 pilhas com carregador, para o flash e o rádio, além de mochila e um tripé para o flash. Este seria o kit básico para esse tipo de trabalho.

6.3 Quanto posso investir e como vou pagar?

São perguntas que podem ser respondidas juntas, pois uma é complemento da outra. Bom, se for pagando à vista eu posso investir agora R$ 4.000,00. Se for a prazo, eu consigo apertar os cintos aqui e pagar R$ 700,00 por mês, durante um ano. Então 700 x 12 = 8.400,00. Cada pessoa vai definir a melhor estratégia a partir daqui. Uma opção seria usar os 4mil e comprar uma parte mais importante do equipamento e depois juntar mais 4 mil e comprar o restante. Ou então usar todo o limite do cartão e fazer a compra total.

Mas agora, vamos ver o que a gente vai conseguir comprar com essa verba.

6.4 Que tipo de câmera vou optar e por quê?

Vou optar por uma câmera DSLR cropada (mais barata do que full frame e mirrorless), que seja um pouco mais robusta e me entregue uma imagem com boa qualidade.

Neste caso, vou optar por uma 80D usada e em boas condições. Encontrei uma por R$ 4.300,00 no marketplace e pedi para o vendedor fazer via mercado livre. Como o valor da câmera é maior do que o que eu dispunha para pagar a vista, optei por parcelar, então esta vai ser a maneira como vamos seguir nosso investimento.

Ainda temos R$ 4.100,00 para investir no restante do equipamento.

6.5 Quais lentes vou comprar e por quê?

Aqui vou optar por uma lente zoom. Sim, a Sigma 17-50 f/2.8. Ando apostando nesse tipo de equipamento, ela vai me dar condições de fotografar em todo tipo de local. Além de que ela tem abertura máxima em f/2.8 em todo o range, então é uma lente bem clara. Se eu precisar, mais pra frente posso investir em uma 50mm f/1.8 STM, ela será praticamente uma 80mm na minha 80D.

Dei muita sorte e encontrei uma Sigma 17-50 f/2.8 por R$ 1.800,00 no mercado livre.

Ainda restam R$ 2.300,00 para investir.

6.6 Quais acessórios e por quê?

Vou optar por um flash mais robusto da godox, o TT685-C (para canon), vou precisar de 2 jogos de 4 pilhas para ele, pois preciso de um jogo de backup para repor no flash caso acabem as pilhas no meio de um trabalho. Para disparar remoto vou precisar de um rádio flash também, para este modelo de flash, o mais barato que encontrei foi o X1T-C. Para o rádio mais um jogo de 4 pilhas.

Além disso, vou precisar de mais 2 cartões SDHC de 32Gb. Vamos ver quanto vou investir nisso tudo.

3 jogos de 4 pilhas: R$ 327,00 - novas em site especializado. Flash Godox TT685-C: R$ 700,00 - usado no mercado livre. Radio Flash godox X1T-C: R$ 250,00 - usado no mercado livre. Carregador para as pilhas para 8 pilhas: R$ 299,00 - novo em site especializado. 2 SDHC 32 Gb 95mb/s: R$ 190,00 - novo no mercado livre.

Uma dica importante: Pilhas e cartão de memória sempre compre em local confiável e com referências.

TOTAL: R$ 1.766,00

Ainda temos R$ 1.434,00 para investir. Vamos segurar essa grana, porque tem mais umas coisinhas que ainda não mencionei aqui. Vamos continuar analisando.


7. Estrutura

Seu kit básico está montado, que legal! Mas, e agora, onde vamos guardar? Como vamos levar esses equipamentos para o trabalho? Aqui vai informação que ninguém nunca te passou, né!?

Uma boa mochila. A gente passa um bom tempo da vida com ela nas costas, então tem de ser confortável. Outro ponto importante é a segurança com a qual ela armazena os equipamentos. A mochila tem de ser reforçada, pois se ela (ou você) sofre uma queda ou bate em algum lugar, o equipamento tem de estar seguro. E por fim, precisa atender às suas necessidades. Existem modelos bem compactos, tipo uma bolsa tiracolo, existem também modelos com espaço para levar um notebook e outros modelos até com rodinhas, para quem viaja bastante.

E também é muito importante ter um armário exclusivo para guardar suas coisas. Vai por mim! Seu kit básico vai crescer. E quando crescer, é muito importante ter um espaço organizado, limpo e sem umidade, para você sempre achar rápido o que precisa e para suas lentes nunca ficarem com fungos. Eu gosto de deixar até um produto anti-mofo dentro do armário.

E por fim, é muito bom ter um kit de limpeza, com umas flanelas, um soprador, tipo esse da imagem, assim seu equipamento estará sempre limpo e pronto para fazer grandes fotos.


8. Investimentos Finais

Que legal, heim! Olha só, vamos usar aquele restinho que sobrou, pra gente investir? Vou procurar uma mochila, um kit de limpeza, um local para guardar meus equipamentos e aquele produto anti-mofo.

Optei por uma mochila média, que caiba um notebook, meu flash, rádio, câmera, lentes e pilhas. Encontrei um modelo da Case por R$ 480,00. E entre o kit de limpeza, caixa para guardar a câmera e produtos anti mofo, investi mais R$ 150,00. Com o que sobrou, consegui investir em uma lente 50mm STM no mercado livre.

Montamos nosso equipamento com R$ 8.400,00, pagando R$ 700,00 por mês em 12 meses. O kit básico ficou bem completo, né? Olha só o que temos:

Canon 80D Sigma 17-50 f/2.8 Canon EF 50mm f/1.8 STM Flash Godox TT685-C + Radio Flash X1T-C 3 jogos com 4 pilhas + carregador. 2 cartões de memória SDHC de 32Gb. Mochila e Kit limpeza e organização.

Com este kit básico, você pode fazer qualquer tipo de trabalho, desde o tipo que pré-estabeleci para montá-lo, como também para eventos sociais, ensaios, família, entre outros.


9. Conclusão

Agora que você já sabe tudo o que precisa para investir em seu equipamento, avalie muito bem as suas necessidades, faça um planejamento e boas compras.

Este artigo teve a colaboração de Luis Galaverna e Pedro Ivo.

Autor(a) do artigo

Fabio Zangelmi
Fabio Zangelmi

Fábio Zang é publicitário não praticante e há quase 10 anos atua como fotógrafo de Publicidade, Moda, Beauty e Retratos, depois de ter experimentado todas as outras áreas da fotografia. Já foi professor no curso de Produção de Moda para Fotografia no SENAC e atualmente é também professor de fotografia em plataformas online e workshops presenciais. Atendeu empresas como GMC, Evoóc, Absolutti, XP Investimentos, Cristália Farmacêutica, RCE, entre outras, e já teve seu trabalho veiculado em grandes revistas de circulação nacional e portais, como Caras, Cabelo & Cia, Exame, G1, Uol, Vogue Itália, e mais alguns. Fábio também é músico nas horas vagas, pai de gato e tem um jeito carismático e bem agitado.

Todos os artigos