Como iniciar a sua jornada profissional em audiovisual

Se você é estudante de audiovisual ou iniciante nesta carreira, deve ter percebido como não é simples e claro qual caminho seguir para entrar de vez no mercado de trabalho e começar a sua carreira com o pé direito.

Como professor há mais de 6 anos, já convivi com muitos alunos, de diversos níveis de experiência e estudo, e posso afirmar que essa dificuldade não é só sua – é a pergunta mais recorrente que recebo de meus alunos: “Como começar a trabalhar com vídeo?

Admito que meu início de carreira foi sortudo. Meu padrinho, que é também editor de vídeos, possuia algumas ilhas de edição que alugava para produtoras. Em uma delas, ele precisou de um editor assistente e essa foi minha primeira oportunidade. Isso foi em 2006: o Premiere Pro estava ainda em sua versão 2.0 (que era muito ruim), o padrão de edição era na plataforma AVID, os vídeos ainda nem chegavam em formato digital, e sim em fitas MINI DV – era necessário digitalizar todo o material. “Play e rec”, esse era o meu trabalho.

Imagem Mini DV

Essa primeira experiência durou pouco mais de 6 meses, e me ajudou a entender o que era a profissão e o que eu deveria começar a estudar. Como assistente, não consegui montar um portfólio e não possuía ainda nenhum curso ou certificação na área. Foi quando me mudei de São Paulo para Curitiba, e tive que ir atrás de trabalho novamente – dessa vez sem padrinho, contados, cursos e nem portfólio. Foi bem complicado. Levei quase um ano para voltar ao mercado de audiovisual.

Somando experiências minhas e de meus alunos, consigo notar que não existe um único modo para entrar nesta área, mas que algumas coisas são sim indispensáveis. Para definir sua estratégia é preciso uma avaliação individual – entender o mercado no qual você está inserido, a oferta e procura por conteúdo audiovisual, os cursos disponíveis, a qualidade de produção local e entender, principalmente, que perfil de profissional você é.

Área de atuação

Se você está iniciando uma nova profissão, deve primeiro estudar sobre ela. Não há como realizar com qualidade e efetividade nenhuma função sem antes entendê-la. Você não precisa ser o maior conhecedor do assunto, mas deve imprescindivelmente compreender a rotina básica e ter vontade de sempre estudar.

Então, se você vai estudar, por onde começar? Provavelmente você tem essa dúvida, afinal, está lendo este texto. Para saber a resposta é preciso avaliar sua disponibilidade financeira e tempo – para assim escolher entre um curso livre presencial, um curso online ou uma graduação. Mas principalmente definir em qual área deseja atuar!

Vídeo é um formato onde você pode expressar uma opinião, criar conteúdo de entretenimento ou vender um produto. Pode também explorar diversas mídias como televisão, web, cinema. Vamos pegar como exemplo vídeos publicitários para a Web.

Se você fosse produzir um conteúdo publicitário, você precisa entender de:
Marketing: planejamento e roteiro;
Direção de cena: coordenação da produção audiovisual;
Direção de fotografia: construção da estética visual do filme;
Edição de vídeo e pós-produção: montagem, finalização, identidade gráfica.
Esses são alguns exemplos básicos de funções distintas dentro de uma produção audiovisual.

Você deve entender que vídeo é um trabalho em grupo. Existem diversas tarefas a serem realizadas no processo: desde a construção do roteiro, escolha do cenário, figurino, objetos de cena, à computação gráfica, color grading e distribuição. Você não deve e nem pode abraçar todas as funções de uma vez – escolha a área que mais lhe agrada. Se, por exemplo, você é um bom redator, estude roteiro para cinema ou publicidade. Porém, se gosta de fotografia, pode estudar direção de fotografia para vídeo. Ou até mesmo se você é, como eu, apaixonado por informática e tecnologia, pode estudar montagem, pós-produção, animação gráfica.

Estudar por conta – O “Mito”

Depois de escolher uma área que você quer explorar dentro do mundo audiovisual, você deverá ir atrás de uma fonte de estudo. E nesse momento aparecerá o maior “mito” de todos. Tenho certeza que você já leu isso muito na internet: estudar completamente por conta.

Não estou dizendo que é impossível. Você pode muito bem instalar um software em seu computador e começar a apertar todos os botões, experimentar e testar cada uma das opções, e, com o tempo, começar a entender do que se trata a ferramenta. Os softwares estão cada vez mais intuitivos, tornando-os mais fáceis de aprender. Mas esse tipo de estudo tomará muito mais tempo, e será ineficiente em aprender como trabalhar de verdade. Você aprenderá a usar a ferramenta, mas não o que fazer com ela. Em outras palavras, aprenderá a fazer um corte no software de edição, mas não a construir uma obra audiovisual de qualidade, ou como atender as necessidades e expectativas de um cliente.

Dentro desse mito, há também a variante: estudar no Youtube. Primeiro entenda que essa opção não é estudar por conta, afinal, você está seguindo as instruções e orientações do profissional que produziu o vídeo que você estará assistindo. Esse é um bom começo, principalmente se você ainda não tem certeza da área de atuação que pretende seguir. Mas é apenas isso, um começo. Pelo Youtube você encontrará muitas aulas boas – e muitas aulas ruins. Tem que saber o que está procurando, e ter sorte nesta busca. Mas se você está começando, como saberá o que buscar, o que é prioridade e mais relevante em seus estudo? É aí que se destaca um bom curso.

Cursos livres e faculdade

Seja um curso livre presencial ou online, uma graduação ou uma aula de fim de semana, há um instrutor profissional, com uma meta didática bem estabelecida, disposto a lhe ensinar uma tarefa do começo ao fim – já lhe proporcionando uma estrutura didática eficiente, alinhada ao objetivo do curso.

Trabalhando com audiovisual, não é obrigatória uma graduação, pois poucas empresas pedem diploma para a contratação dos profissionais neste setor, com a pequena exceção de algumas emissoras de televisão. Porém, um estudo formal lhe oferece, além do diploma, a oportunidade de networking com outros profissionais, a criação de portfólio através de trabalho realizados no curso e um panorama abrangente sobre o trabalho. Você pode escolher cursos diretamente relacionados a vídeo, como Rádio e TV, Audiovisual, Cinema, ou até mesmo cursos indiretamente relacionados, como Marketing, Publicidade e Propaganda e Design Gráfico, por exemplo.

A graduação é um curso que aborda de maneira básica cada aspecto de um trabalho. Para cursá-la é necessário tempo, disciplina e, claro, o valor do investimento. Porém, muitos assuntos técnicos, básicos ou avançados não são abordados em cursos de graduação, mas são possíveis de serem estudados em cursos presenciais ou online.

Um curso online tem como vantagem seu baixo custo de investimento, oferta de certificado, material de estudos e pode ser assistido em qualquer hora ou lugar. O TreinaWeb oferece uma grande gama de cursos livres.

Livros e revistas também são boas fontes de estudo e um bom hábito para cultivar. Através de livros você pode aprender muito sobre teoria e fundamentos, enquanto revistas atuais podem lhe manter informado sobre as novidades do mercado.

Construção de portfólio

Seu processo de estudo é uma ótima oportunidade para começar a construir um portfólio inicial. Para muitas funções dentro da carreira em audiovisual é comum o contratante pedir junto de seu currículo uma apresentação de portfólio. Por exemplo, se você é editor, é possível que a empresa que está avaliando seu currículo peça o link de seu perfil no Vimeo com exemplos de edições que já fez. Ou se está atrás de uma vaga como fotógrafo, eles analisem seu perfil no Instagram ou 500px.

Vídeo é uma forma de arte. Mesmo que você ainda não tenha clientes, ainda assim, pode começar suas experiências com audiovisual. Pode, por exemplo, gravar e editar um vídeo de viagem, um mini-documentário com familiares ou pessoas de sua cidade, talvez um vlog, vídeo de receita, análise de cinema ou animações – há muito o que explorar. Não tenha medo de usar o celular, editar em programas mais simples, pedir ajuda aos amigos. O importante é começar, mostrar interesse. Depois, quando empregado, a cada produção nova você pode lapidar seu material e suas habilidades.

Trabalhar de graça

Uma opção polêmica é se oferecer para trabalhar “de graça”. Isso é, entrar em um projeto audiovisual sem remuneração monetária, apenas com troca de experiência, dica e portfólio.

Considero essa uma opção muito nobre, e sou a favor de trocar algumas horas de trabalho por experiência. É uma ótima forma de fazer networking, conhecer outros profissionais e possíveis clientes, além de aprender muito. Mas tome cuidado.

Uma coisa é participar voluntariamente em um projeto não-remunerado ou de baixo orçamento para uma ONG, um curta-metragem ou um vídeo educacional. Outra coisa é trabalhar num projeto publicitário, com orçamento, no qual a empresa contratante está lucrando e poderia lhe pagar ao menos o valor de aprendiz, porém estão lhe explorando.

Freelancer vs funcionário

Existem duas opções para trabalhar com audiovisual: como funcionário fixo em uma empresa, recebendo um salário mensal, ou como freelancer, fazendo trabalhos pontuais e cobrando por trabalho. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, nenhuma das opções é melhor ou mais agradável. Acredite, trabalhar como freelancer pode ser mais cansativo do que como funcionário fixo.

Como funcionário você tem a possibilidade de crescer, de aprender com os demais profissionais que convive no dia a dia, de errar e corrigir. Tem também a certeza de um salário fixo todo mês. Muitas empresas inclusive investem no treinamento dos funcionários, pagando cursos para o desenvolvimento dos mesmos. Mas, ao mesmo tempo, você tem uma responsabilidade diária, com prazos, metas e horários de trabalho. Produtoras de vídeo normalmente têm prazos e jornadas de trabalho bem longas, e você deve ser muito comprometido.

Como freelancer você pode de cobrar mais por sua hora de trabalho e tem um controle absoluto de sua agenda, definindo quando irá ou não assumir um novo projeto de trabalho. Mas, ao mesmo tempo, não terá nenhum tipo de garantia, tudo depende de você – desde a sua organização financeira até a busca por novos trabalhos. Para se dar bem como freelancer é precisa ter um perfil empreendedor e muita organização, além de ser muito bom de networking.

De porta em porta

A oportunidade de trabalho dificilmente aparecerá na sua frente espontaneamente. Você deve pôr a cara a tapa e oferecer seu serviço. Enviar seu currículo com portfólio por e-mail é uma opção – mas escreva muito bem, seja direto, claro e sério. Cuidado com gírias e erros ortográficos, o texto do e-mail será sua primeira impressão.

Mais eficiente que mandar e-mails é ir pessoalmente se apresentar nas produtoras e agências de sua cidade – não tenha medo nem vergonha. O empregador terá confiança em você se você passar essa confiança para ele.

Algumas ferramentas online podem lhe ajudar a encontrar vagas de trabalho, como o Tela Brasileira, o Catho e grupos do Facebook voltados ao setor audiovisual. Consegui meu primeiro emprego com audiovisual em Curitiba através de uma vaga no Catho.

Contatos são tudo!

Se você realmente quer ter sucesso na área, terá que fazer amizades, saber socializar e trabalhar em grupo. Como disse antes, vídeo é feito em equipe.

Faça amizade com o pessoal do atendimento, pois são eles que mais tem contato com clientes e podem te encaixar em algum projeto e levantar sua moral com a produtora e o cliente. Outro profissional importante de agradar é o diretor do filme, já que é dele a responsabilidade de fazer a obra ficar incrível – com isso, ele só se cercará de profissionais de confiança. Mostre a ele que você está lá para ajudar e para seguir seu direcionamento. O produtor também é uma voz importante na equipe – ele quem corre atrás de tudo o que é necessário para viabilizar o projeto, e inclusive pode indicar seu trabalho para o diretor.

Seja o melhor profissional que puder

Trabalho em equipe é a chave para um projeto audiovisual de sucesso, e você será uma das peças. Dê sempre o melhor de si, leve a sério o projeto, seja paciente com os demais colaboradores, atento aos pedidos do diretor e do cliente e faça amizades.

Quando não souber realizar por completo uma tarefa, não tenha medo em pedir orientação, vá atrás de cursos e se especialize. Cada dia será um novo aprendizado e tudo começa agora. Então, feche essa matéria e vá atrás do seu sucesso!

Deixe seu comentário

Coordenador de audiovisual. Trabalho com edição e pós produção. Adobe Certified Instructor em After Effects, Premiere, Illustrator, Lightroom, Photoshop, Video Specialist.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PROFISSIONAIS DE AUDIOVISUAL