Photoshop

Os melhores plugins grátis para Photoshop e Illustrator

Os programas da Adobe por si só já são excelentes e realmente poderosos, mas já pensou em melhorar ainda mais a experiência com plugins que podem facilitar determinadas tarefas?

Neste artigo iremos conferir alguns scripts indispensáveis para designers que utilizam Photoshop e Illustrator.

Antes de elencar cada um deles, vamos aprender como instalá-los?

Para qualquer programa Adobe o caminho é praticamente o mesmo, mudando obviamente, a pasta de destino correspondente ao software:

  • Mac: /Applications/Adobe Illustrator CC 2017/Presets/pt_BR (ou en_US)/Scripts
  • Windows: C:Program FilesAdobeAdobe Illustrator CC 2017Presetspt_BR (ou en_US)Scripts
Direção de arte e figurino
Curso de Direção de arte e figurino
CONHEÇA O CURSO

Vamos aos plugins:

Nik Collection

Nik Collection

O Nik Collection é o queridinho dos entusiastas da fotografia. Com plugins para Adobe Photoshop e Adobe Lightroom, ele proporciona uma grande possibilidade quando o assunto é edição de imagens. Entre tantas funcionalidades, os filtros do Nik permitem por exemplo aprimorar correção de cores, retocar imagens, dar nitidez e ajustar cores.

No momento em que escrevo este post, o plugin é grátis e de propriedade da DxO, que o comprou da Google em 2017 afim de dar continuidade ao mesmo.

Para baixar, acesse www.google.com/nikcollection ou nikcollection.dxo.com

Flaticon

Flaticon Adobe Extension

Se você é designer, provavelmente já deve ter ouvido falar ou conhece o Flaticon, um site que disponibiliza ícones vetorizados. Com o plugin lançado por eles, é possível que você faça a pesquisa por imagens dentro do próprio software (Photoshop ou Illustrator) sem precisar baixar do site toda vez que precisar de algum ícone.

Ele é gratuito, mas também possui a versão premium. Para conhecer as diferenças dos planos e baixar a extensão para os programas da Adobe, basta acessar https://www.flaticon.com/apps/adobe-extension

Velositey

Flaticon Adobe Extension

Uma verdadeira mão na roda para webdesigners, o Velosity é um plugin para Photoshop que dispnibiliza 60 diferentes templates de website. Para utiliza-lo é muito simples, bastanto baixar o template de preferência, carregar no Photoshop e fazer os ajustes necessários.
Para baixar, acesse http://dandkagency.com/extensions/velositey-v2/

Metalball (Arc)

Criado por Hiroyuki Sato, o metalball é um script simples, que tem como finalidade juntar objetos isolados, dando origem a uma única forma. O que poderia ser algo um tanto quanto trabalhoso, torna-se fácil com o Metalball. Veja abaixo como utiliza-lo:

Metalball Script

Clique aqui para baixar o script Metalball.

MultiExporter

MultiExporter

Criado por Matthew Ericson, o MultiExporter é bastante interessante e permite que cada camada ou prancheta seja exportada separadamente no Illustrator, tanto em PNG quanto em PDF.
Basta apenas ter mais de uma camada criada no arquivo que o script reconhece e exporta cada uma delas no local e no formato escolhido pelo usuário.

Clique aqui para baixar o script MultiExporter.

Gostou das dicas? Gostaria de conehcer outros puglins? Deixe sua opinião nos comentários 😉

Até a próxima!

Direção de arte e figurino
Curso de Direção de arte e figurino
CONHEÇA O CURSO

Qual a diferença entre o Lightroom e o Photoshop? E qual escolher?

Se você é um iniciante na carreira de fotografia, design ou de produção audiovisual, sabe que é imprescindível escolher bons programas de edição para elevar seus trabalhos ao melhor potencial. Para ajudar você nessa escolha, selecionamos dois dos softwares mais usados pelos profissionais da área: Lightroom e Photoshop.

Antes de acreditar que um ou outro é mais eficiente, entender as principais semelhanças e diferenças entre os dois é o melhor caminho para optar pelo que terá melhor desempenho no tipo de edição que você deseja realizar.

É muito natural que surjam dúvidas na hora de escolher. Pronto para tirar todas elas? Então acompanhe este post!

O que são Lightroom e Photoshop?

Apesar de semelhantes, os softwares evoluíram de forma bastante diferente na gama de funcionalidades e no modo como são utilizados. Mesmo assim, optar por um deles não significa rejeitar completamente o outro. Ao contrário: eles podem e devem ser utilizados em conjunto, afinal, tudo depende do que você pretende realizar.

Photoshop

É o software mais utilizado no mundo para edição de imagens. Foi inicialmente criado em 1990, para manipulações simples. Desde então, tem crescido e ganhado um número de funcionalidades ilimitado, tanto por meio das próprias atualizações de programa feitas pela Adobe quanto pela adição de plugins disponibilizados aos usuários.

Praticamente um laboratório, com o Photoshop é possível fazer qualquer coisa: recortes, efeitos, montagens, fusões… Sua gama de comandos é tão ampla que é quase impossível uma única pessoa conhecer todas as possibilidades. O programa permite edições em múltiplas camadas, memoriza caminhos inteiros de alterações e, a cada liberação, traz ferramentas cada vez mais úteis.

Suas desvantagens principais são a ausência de funções de gerenciamento de arquivos, a relativa dificuldade de aprendizagem (que requer muita prática) e não ter internamente a edição de arquivos RAW — para tratá-los é necessário abri-los usando a extensão ACR (Adobe Camera RAW).

Quando bem realizadas, sabemos que as modificações feitas no Photoshop têm um alto nível de realidade. No entanto, devido à sua enorme popularização, o software não é utilizado apenas por profissionais ou por pessoas com boas habilidades de edição. Isso gera as tão conhecidas deformações, que denunciam a manipulação da imagem.

Lightroom

Construído como um subgrupo de funções complementares ao Photoshop, o Lightroom é ao mesmo tempo editor e gerenciador de imagens, frequentemente usado para manipulação em grande quantidade de arquivos. É capaz de ler automaticamente e gerar um catálogo de dados com as informações das fotos importadas — como tipo de câmera, ISO, velocidade do obturador, abertura etc.

O Lightroom tem como vantagens principais tudo aquilo que o Photoshop não possui: é mais acessível na aprendizagem, trabalha com arquivos RAW, permite marcar e classificar fotos (e vídeos, nas versões mais recentes) etc. Tudo isso torna muito mais práticas as tarefas como tratar fotos com os mesmos efeitos e escolher as melhores dentre centenas. Assim, você otimiza seu tempo e sua forma de trabalhar.

Em uma das atualizações mais recentes, podemos ver que dentro do pacote de softwares criativos há dois ícones para o Lightroom. Um deles ficou com a denominação de Lightroom CC e o outro, Lightroom Classic CC. O Classic CC é o novo nome do software que já conhecemos, com algumas alterações na importação e na transição entre fotos, que tornaram seu desempenho muito mais rápido.

A principal diferença é que o novo CC é uma versão mais simplificada. Criada para usuários que têm a fotografia como hobby, inicialmente foi pensada para smartphones e tablets, mas agora também tem versão para desktop. Ele é ainda mais fácil de aprender e agrupa as ferramentas e as imagens de forma mais intuitiva.

As desvantagens do Lightroom é que ele não possui uma gama de comandos tão ampla, não realiza edição em camadas e é voltado para o tratamento específico de fotografias.

Quais são as semelhanças entre eles?

Se você já reparou nos nomes completos dos programas — Adobe Photoshop e Adobe Photoshop Lightroom —, percebeu que ambos são desenvolvidos pela Adobe e fazem parte de uma série de softwares que, juntos, formam a Creative Cloud. Nasceram com o objetivo principal de edição de imagens e aceitam trabalhar os mesmos formatos (JPEG, TIFF, PNG, RAW).

Tanto no Photoshop quanto no Lightroom, é possível encontrar desde as ferramentas mais básicas, como efeitos automáticos — por exemplo, preto e branco ou sépia — até comandos avançados, que modificam saturação, corrigem distorções, ajustam exposição e alteram curvas.

Em ambos, é necessário exportar as fotos após o tratamento para formatos que possam ser impressos ou publicados, como JPEG, TIFF, PNG e outros.

Quais são as diferenças?

Entre as principais diferenças temos que, no Photoshop, as alterações feitas interferem em definitivo e diretamente sobre os pixels da imagem original — o que comumente chamamos de edição destrutiva. Para evitá-la, é necessário um procedimento um pouco trabalhoso: primeiramente é preciso salvar a imagem editada em um formato interno do Photoshop (PSD), que armazena todas as alterações, e só então exportar para formatos compartilháveis.

Assim, o profissional é obrigado a manter três arquivos diferentes: o original, o PSD e o compartilhável. Esse processo gera conjuntos extensos de informações, exclusivos para cada imagem, e que, consequentemente, são pesados e ocupam muito espaço no HD do seu computador.

Já o Lightroom trabalha de forma diferente: não age diretamente sobre os pixels das fotos, mas cria bancos de dados dentro do próprio programa, que codificam as informações de como as imagens devem ser processadas no momento da exportação. Assim, os arquivos originais são mantidos intactos.

Mesmo operando dessa forma, o Lightroom não ocupa um espaço excessivo no HD do seu computador (mais uma vantagem). Outra divergência é que as ferramentas do Lightroom que permitem sinalizar e classificar as imagens não estão presentes no Photoshop, pois esse último não mantém catálogos das imagens importadas.

Qual é mais indicado para a minha profissão?

O Lightroom é mais específico para fotógrafos, por profissão ou por hobby, que desejam e necessitam processar grandes lotes de suas fotografias. Ele lida com o ciclo inteiro, desde a importação das fotos a partir do cartão de memória da câmera até a edição e a impressão. Outra vantagem é a possibilidade de organizar as imagens em apresentações de diversos tipos, como slides ou livros.

Mesmo assim, após a classificação e a escolha das fotos favoritas, antes da impressão definitiva, edições complementares sobre as fotos podem ser realizadas no Photoshop.

Já para profissionais de outras áreas criativas — como publicidade, marketing, arquitetura, design e arte —, o Photoshop é mais indicado. Ele possui funcionalidades imbatíveis, que nenhum outro software consegue equiparar, possibilitando edições mais profundas e eficientes para atingir seu objetivo final.

Qual devo comprar?

Em épocas anteriores, o Photoshop aparecia em pesquisas como preferência absoluta no uso, mas nos últimos anos o Lightroom teve um crescimento surpreendente quando comparado ao seu “irmão” e a outros softwares existentes no mercado. Isso porque a Adobe tem se empenhado em diversas melhorias para o programa, mesmo em suas versões mais básicas.

Em suma, para você escolher melhor, defina com clareza seus objetivos. Se você é fotógrafo amador ou profissional e deseja uma ferramenta que permita editar intuitivamente, organizar e que permita compartilhamento fácil em redes sociais, o Lightroom deve ser sua melhor aposta.

Entretanto, se quer um programa que propicie alterações de imagem mais amplas e detalhadas, e não tem necessidade de trabalhar com grandes quantidades de arquivos, o Photoshop certamente o atenderá da melhor forma.

O mais provável é que, mais cedo ou mais tarde, devido à complementaridade dos programas entre si, você acabará por adquirir os dois. A Adobe facilitou isso ao lançar a Creative Cloud, em que é possível pagar um valor mensal pelo uso dos produtos, mas, caso prefira, pode adquiri-los separadamente.

Entendeu tudo o que precisava para usar e escolher entre Lightroom e Photoshop? Que tal aprender a trabalhar com as duas ferrametas!? Clique aqui e conheça nossos cursos!

Como descobrir qual fonte está sendo utilizada em um logotipo

O ideal é que tenhamos uma imagem com contraste entre a fonte utilizada e o fundo, precisamos também recortá-la em fatias para separar as famílias de fontes.

Vamos usar a logo do TreinaWeb e o Photoshop para recortar partes da imagem e salvar como JPG.

A primeira forma de identificar a fonte é através de uma função do site WhatTheFont que é oferecido de forma gratuita pelo MyFonts.

Após acessar o site é preciso escolher a imagem que foi previamente recortada.

O sistema fará uma verificação dos caracteres e, se necessário, ele solicitará alguma correção. Assim que estiver tudo correto é só clicar em continuar.

A ferramenta retornará as fontes compatíveis que forem encontradas e, neste caso, verificamos que a fonte utilizada foi a Neuropolitical Regular.

Unity - Criação de jogos RPG 2D
Curso de Unity - Criação de jogos RPG 2D
CONHEÇA O CURSO

Através do CorelDraw

Para os usuários de CorelDraw a busca no WhatTheFont está disponível como função padrão, não sendo necessário recortar a imagem.

Após ter importado a imagem é preciso acessar a aba Texto e em seguida a função WhatTheFont.

O software permite que seja feita uma seleção ao redor da fonte a ser buscada.

Ao confirmar, o CorelDraw irá redirecionar o usuário para o site WhatTheFont que funciona como demonstramos anteriormente.

MatchFont do Photoshop CC

A outra forma de se identificar é através de um recurso que foi adicionado recentemente ao Photoshop CC e que se chama MatchFont.

Após importar a imagem, criamos uma seleção ao redor da tipografia a ser buscada, neste caso foi utilizado a ferramenta de seleção retangular. Depois, basta entrar na aba Type e selecionar MatchFont.

Em seguida a ferramenta retornará todas as fontes semelhantes que forem encontradas no seu sistema.

Com essas duas funcionalidades você será capaz de identificar a parte das fontes de diversos materiais para poder utilizar em seus projetos.

Grande abraço e até o próximo post! 😉

Unity - Criação de jogos RPG 2D
Curso de Unity - Criação de jogos RPG 2D
CONHEÇA O CURSO

Ganhe o seu cliente na apresentação

Olá! Este artigo é voltado principalmente para profissionais da área de design, mas a ideia central é genérica e serve para todos: uma boa apresentação pode conquistar o cliente.

Pensemos numa embalagem para um produto. O que interessa é o que está dentro, mas as cores, o formato e até mesmo as instruções de como utilizá-lo podem fazer toda a diferença na hora da decisão pela compra.

Cada profissional tem a sua maneira de apresentar o seu trabalho, seja uma nova identidade visual para um cliente, um cartão de visitas ou até mesmo a proposta de um novo layout para site.

Se você é iniciante nessa área, tenho uma ótima dica pra você! Já ouviu falar em mockup? O mockup, dentro do design gráfico, é um tipo de arquivo facilmente editável (normalmente pelo Photoshop) e que representa com muita fidelidade um determinado objeto. Veja na imagem abaixo um exemplo de mockup de logo em alto relevo inserido numa superfície.

Vamos a um rápido tutorial? Para isso, utilizaremos o programa da Adobe citado há pouco.

HTML5 e CSS3 - Desenvolvimento web Avançado
Curso de HTML5 e CSS3 - Desenvolvimento web Avançado
CONHEÇA O CURSO

Primeiro passo

Com o arquivo aberto no Photoshop, procure pela layer editável. Normalmente ela estará nomeada como “your logo” (como na imagem abaixo), “edit here” ou algo semelhante.

Segundo passo

Dê um duplo clique na layer. Uma nova aba será aberta e nela você substituirá a imagem existente pela de seu interesse.

Terceiro e último passo

Salve a nova imagem (ctrl + s) e volte para a aba principal do arquivo para verificar o resultado.

Pronto! Você terá uma imagem super profissional para uma apresentação. Como esse arquivo, existem outras centenas disponíveis pela internet. Pesquise por “PSD free mockups” e divirta-se. 🙂

Quer aprender mais sobre Photoshop? Confira alguns dos nossos cursos:

Teste de Software Avançado
Curso de Teste de Software Avançado
CONHEÇA O CURSO

Até a próxima! 😉