Representante do Brasil no Oscar: conheça o trabalho do montador Daniel Rezende

Ver um brasileiro se destacando mundialmente é motivo de orgulho, não é mesmo? E quando se trata da maior premiação do cinema, é mais empolgante ainda. A nossa aposta para o Oscar de 2018 foi o diretor e montador Daniel Rezende. Ele disputou uma vaga na categoria de Melhor Filme Estrangeiro com o filme Bingo — O Rei das Manhãs.

Você conhece a carreira dele e sabe quais são as atribuições de um montador de cinema? Então, acompanhe este post e entenda tudo!

Quem é Daniel Rezende?

Aos 42 anos de idade, o paulista Daniel Rezende possui um currículo de dar inveja. É formado em publicidade pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), onde teve o 1º contato com edição de vídeo.

Iniciou a carreira com comerciais e videoclipes e depois passou a editar filmes nacionais e estrangeiros, além de atuar como diretor de unidades. Acumula grandes filmes como montador e está estreando como diretor de cinema.

Entre seus trabalhos mais reconhecidos estão os longas Cidade de Deus (2002), Tropa de Elite 1 e 2 (2007 e 2010), Ensaio Sobre a Cegueira (2008), Árvore da Vida (2011) e RoboCop (2014).

Premiações

Na direção, está à frente Bingo — O Rei das Manhãs, filme inspirado na vida de Arlindo Barreto, ator que interpretou o famoso Palhaço Bozo. Título esse que lhe rendeu a indicação brasileira para a categoria de melhor filme em língua estrangeira da 90ª edição do Oscar.

Ele foi escolhido entre 22 produções nacionais e representou o Brasil na cerimônia. Ao todo, foram 92 filmes disputando a estatueta – o evento será realizado no dia 4 de março de 2018, em Los Angeles (Estados Unidos).

Mas essa não é a 1ª vez que o brasileiro participa de premiações. Em 2004, ele já havia sido indicado ao Oscar na categoria de Melhor Edição pelo aclamado Cidade de Deus. No ano anterior, venceu o Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão (Bafta) de melhor edição pelo mesmo trabalho.

Atualmente, Rezende é um dos nomes mais requisitados do cinema nacional. Está trabalhando na direção de Turma da Mônica — Laços, adaptação da história de quadrinhos para o cinema.

Como é o trabalho de um montador de cinema?

A função de um montador de cinema é reunir, ordenar e dar ritmo às imagens filmadas e sons captados no set. Com esse material, dá sentido narrativo ao filme de acordo com o roteiro e a decupagem prévia.

É o profissional responsável por dar harmonia aos cortes de cada plano, buscando tornar as mudanças de planos naturais, de modo que passem de forma despercebida.

Todo esse trabalho é realizado com a operação de softwares de edição.

Ruídos e música também são acrescentados na junção das imagens. Para isso, o montador pode trabalhar sozinho ou com a ajuda de um assistente (mais comum em filmes longos ou com muitos cortes).

Como montador, Daniel Rezende recebeu prêmios e trabalhou ao lado de grandes diretores, como Fernando Meirelles, José Padilha, Walter Salles e Terrence Malick. Confira a lista de filmes montados por Daniel Rezende, com seus respectivos diretores e reconhecimentos:

  • Armas e Paz (2002, Walter Salles e Daniela Thomas);

  • Cidade de Deus (2002, Fernando Meirelles): indicado à categoria Melhor Edição do Oscar 2004 e vencedor do Bafta nesse mesmo segmento;

  • Narradores de Javé (2003, Eliane Caffé): vencedor na categoria Melhor Montagem do Prêmio ABC e Cine PE 2003;

  • Diários de Motocicleta (2004, Walter Salles);

  • Água Negra (2005, Walter Salles);

  • O Ano em que meus Pais Saíram de Férias (2006, Cao Hamburger): Prêmio ABC de melhor montagem;

  • Tropa de Elite (2007, José Padilha): prêmio de melhor montagem no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2008;

  • Cidade dos Homens (2007, Paulo Morelli);

  • Ensaio sobre a Cegueira (2008, Fernando Meirelles);

  • Jazz in the Diamond District (2008, Lindsey Christian);

  • As Melhores Coisas do Mundo (2010, Laís Bodanzky);

  • Tropa de Elite 2 — O Inimigo Agora É Outro (2010, José Padilha): premiado em 2011 como melhor montagem no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e no Festival de Havana;

  • Árvore da Vida (2011, Terrence Malick): prêmio de melhor filme no Festival de Cannes do mesmo ano;

  • Os 3 (2011, Nando Olival): vencedor do Prêmio ABC de melhor montagem;

  • On The Road (2012, Walter Salles);

  • RoboCop (2014, José Padilha).

Sinopse do filme Bingo — O Rei das Manhãs

O filme dirigido por Daniel Rezende mostra os bastidores da cultura pop na televisão brasileira durante os anos 1980. É estrelado pelos atores Vladimir Brichta, Leandra Leal e Domingos Montagner. Produzido em 2016, o longa estreou em 2017.

O enredo é inspirado na vida do ator e apresentador Arlindo Barreto, que deu vida ao palhaço mais famoso do Brasil, Bozo. Apesar de o longa ser inspirado na história de Barreto, não se trata de uma cinebiografia. Inclusive, os nomes não são os correspondentes aos da vida real. O nome do personagem se chama Augusto, e o Bozo é identificado como Bingo.

Augusto se torna o maior sucesso da televisão infantil, mas passa pelo drama de não poder revelar a sua verdadeira identidade. Isso o leva de “o rei das manhãs” ao anonimato. O palhaço vive, então, uma vida de excessos, incluindo o uso de drogas. Esse comportamento o afasta do seu filho, a única criança que o reconhece como Bingo.

Estreado no final de agosto de 2017, o filme tem classificação indicativa de 16 anos. É uma mistura de drama e comédia, marcada pela edição e pelo ritmo envolvente de Rezende.

Muito legal conhecer os bastidores do mundo do cinema, não é mesmo? São várias etapas, técnicas, recursos e profissionais envolvidos na construção de um filme.

Se você gostou deste post, não pode perder o conteúdo que preparamos sobre as melhores animações do cinema!

Deixe seu comentário
Rafael Alessandro

Mestrando em Cinema e Artes do Vídeo, dedica-se à pesquisa e produção audiovisual.