A restauração da obra de Glauber Rocha

Glauber Rocha foi autor do manifesto da Estética da Fome e único diretor a aparecer duas vezes na lista dos cinco melhores filmes brasileiros, segundo a ABRACCINE. Mesmo assim, como o próprio Glauber afirmava, uma minoria de pessoas conhecia seus filmes aqui no Brasil, enquanto eram aclamados no exterior.

Glauber Rocha é tido como o principal expoente do Cinema Novo, um movimento de vanguarda no cinema influenciado pelas novas ondas (nouvelle vague) do cinema francês e pelo neorrealismo italiano. Esta nova forma de cinema popularizou a frase “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça“, que ia na direção oposta dos filmes de grande circulação até então, em sua maioria chanchadas e filmes produzidos pela Vera Cruz, ainda muito influenciados por uma pompa europeia.

Após o falecimento de Glauber em 1981, Carlos Augusto Calil, diretor da Embrafilme, buscou por cópias dos filmes do diretor para organizar a mostra Retrospectiva Glauber por Glauber. Até mesmo filmes que tiveram seus negativos destruídos em incêndios, como Terra em transe e O dragão da maldade contra o santo guerreiro, tiveram seus internegativos resgatados ao redor do mundo, em Berlim e na França, respectivamente.

Para acompanhar a guarda e circulação desse material reunido, Lúcia Rocha, mãe do cineasta, fundou em 1983 o Tempo Glauber, uma associação cultural que passou a cuidar do acervo do diretor e que reuniu mais de 100 mil documentos.

Em 2017, o casarão no bairro de Botafogo no Rio de Janeiro que abrigava todo esse acervo foi fechado. O espaço, que funcionava como um centro cultural e atraia pesquisadores de todo o país, era um espaço cedido pelo INSS, e um aluguel de 25 mil reais passou a ser cobrado a família do cineasta com o fim do contrato de comodato.

Por conta do encerramento das atividades do Tempo Glauber, o acervo foi destinado à Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Confira também nosso artigo sobre a importância da cinemateca brasileira.

Os critérios da seleção dos primeiros filmes restaurados pelo Projeto Coleção Glauber Rocha foram escolher, primeiramente, as produções que os direitos autorais pertenciam à família, e também trabalhar com filmes que não tivessem mais seus negativos originais, como os dois filmes citados anteriormente, perdidos em um incêndio.

Na fase 1 do projeto, foram restaurados os filmes Barravento, Terra em Transe, O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro e A Idade da Terra. As cópias restauradas viraram DVDs e também circularam nos cinemas de todo o Brasil em cópias digitais e em película. E se o propósito era aproximar o espectador brasileiro à obra do cineasta, o projeto foi bem sucedido. Após seu relançamento, agora restaurado, em apenas duas semanas, Terra em Transe recebeu 10 mil espectadores nas salas de cinema.

E essa demanda de restauro dos filmes de Glauber não foi apenas para sua circulação nacional, seja em festivais ou home video. Festivais internacionais, desde então, vêm exibindo essas novas versões em melhor qualidade de sua filmografia.

Esse trabalho de restauração chama nossa atenção para a importância da preservação dos negativos e dos internegativos das produções. Como os negativos de O dragão da maldade contra o santo guerreiro foram destruídos, a melhor cópia encontrada do filme foi a master com os diálogos dublados em francês e com legendas nos trechos cantados.

Na restauração, o som foi substituído pelo áudio original em português, de uma cópia vinda da Cinemateca de Cuba. Foi desse híbrido entre a cópia cubana e a francesa que temos hoje a versão com melhor qualidade do filme. Infelizmente, uma vez que as legendas em francês estavam gravadas no internegativo, elas estão presentes na versão final restaurada.

Deus e o Diabo na Terra do Sol, sua obra mais conhecida, apesar de ter sido o primeiro filme de Glauber Rocha a ser restaurado, antes mesmo do Projeto Coleção Glauber Rocha, está passando por um novo processo de restauração em 2020, agora em 4K. Em fevereiro desse ano foi realizado escaneamento do negativo original, para, então, o som ser trabalhado posteriormente. A restauração está sendo feita por um investidor privado com a supervisão de Paloma Rocha, filha do realizador.

A fase 1 da Coleção Glauber Rocha foi lançada em DVD pela Versátil Home Video, que ainda levou Deus e o Diabo na Terra do Sol para as lojas. E todos esses filmes também podem ser encontrados em diversos serviços de streaming.

E você, tem algum filme preferido do diretor? Conta pra gente aqui nos comentários e acompanhe nossas redes – Facebook e Instagram – para não perder nenhum texto sobre cinema.

Deixe seu comentário
Rafael Alessandro

Mestrando em Cinema e Artes do Vídeo, dedica-se à pesquisa e produção audiovisual.