5 equipamentos para investir no início da carreira de filmmaker

Se você deseja começar a trabalhar como filmmaker, já deve saber que é essencial obter os equipamentos audiovisuais certos. Mas quais são eles?

Inicialmente, é importante conhecer as suas necessidades e quanto você pode ou está disposto a investir. Para ajudá-lo a escolher as melhores opções, listamos aqui 5 equipamentos audiovisuais importantes para ingressar na área. Confira!

1. Câmera digital

Apesar de conseguir bons resultados com um smartphone, uma câmera que te oferece todas as opções manuais para fotometrar a luz e ainda é a melhor opção para quem vai encarar a cinegrafia como profissão.

Mas lembre-se: um bom trabalho não depende apenas do equipamento. O filme Tangerine que estreou no Festival de Sundance em 2015, por exemplo, foi inteiro gravado em iPhone – com alguns adaptadores de lente. É essencial saber extrair o máximo de seu equipamento, seja ele um celular ou uma câmera profissional de cinema.

Para quem ainda está começando e aprendendo sobre o processo de captação e o comportamento da luz, uma câmera DSLR ou mirrorless deve suprir bem a demanda. Mas mesmo nessas categorias de câmeras há um grande leque de opções, dos mais variados preços. É hora, então, de priorizar suas necessidades.

Você precisa de uma câmera que se saia bem em ambientes de baixa luminosidade ou de uma para gravar vídeos debaixo d’água? É preciso fazer uma autoavaliação sobre o seu perfil e o trabalho audiovisual que pretende realizar.

2. Tripé

Uma imagem tremida – simulando o efeito “câmera na mão” – pode combinar com o seu projeto e criar um sentido no seu material final que está de acordo com a narrativa. Mas isso deve ser sempre uma escolha, e não um erro.

Dependendo dos seus projetos, uma imagem bem estabilizada é mais do que importante. A câmera tremendo, quando fora de contexto, passa uma impressão de amadorismo – que você, como profissional iniciante, está evitando a todo custo.

Um bom tripé não é, dos equipamentos, o mais barato, mas sem dúvidas é um investimento sem arrependimentos. Além da estabilização da câmera, ele vai permitir você atingir alturas e ângulos difíceis de fazer apoiado em outras superfícies. E se você pretende utilizar seu tripé para criar movimentos de câmera, busque por tripés com cabeça hidráulica – ela vai dar mais suavidade aos seus movimentos.

3. Gravador e microfone

Dificilmente você encontrará uma câmera semiprofissional ou profissional que faça uma boa captação de som. E se a “câmera tremida” passava uma impressão de amadorismo, um som mal captado em uma produção firma esse atestado de trabalho amador. Mas calma, a solução é simples e barata.

É possível encontrar no mercado gravadores de áudio portáteis, que se conectam a maioria dos microfones utilizados pelos filmmakers. E se um gravador foge do seu orçamento, as principais marcas de microfones oferecem modelos e aplicativos para celular que permitem uma captação razoável, que está muito a frente da captação de sua câmera. Um exemplo é o aplicativo da RODE, o RODE Rec Le.

Seja utilizando um gravador profissional ou seu celular, você precisará de um microfone. Você pode encontrar diferentes modelos no mercado, mas os mais utilizados pelos filmmakers são os direcionais e os microfones de lapela.

  • Microfone direcional: como o nome já diz, é ótimo para ambientes abertos, deixando a captação do áudio mais focada;

  • Microfone de lapela: permanece preso a roupa. Além de ser discreto e prático, ele capta bem o áudio por sua proximidade da boca – indicado para entrevistas.

4. Fones de ouvido

Durante a gravação, não dá pra confiar cegamente no seu equipamento e esperar que ele faça um bom trabalho. É essencial acompanhar simultâneamente, observando o visor de sua câmera e atento a captação do áudio.

Para não ter erro, um bom fone de ouvido vai ajudar a esclarecer quais momentos da captação apresentaram ruídos indesejados – permitindo a repetição da gravação enquanto você está na locação. Não dá pra esperar chegar em casa e começar a editar para perceber que o som está com ruído, né?

Você pode usar um fone de celular ou um profissional com cancelamento de ruído – essa escolha vai partir do seu orçamento e, novamente, do seu workflow. Se para o seu trabalho é essencial um som extremamente limpo, vale a pena investir em um fone de melhor qualidade. Mas se você vai produzir um conteúdo que não exige esse preciosismo com o áudio, que muitas vezes será acompanhado de uma trilha de fundo que pode disfarçar os ruídos, um fone mais simples pode quebrar um galho.

5. Iluminação

Não há fotografia ou cinematografia sem luz, e você pode clarear ou iluminar um ambiente. Clarear seria como acender a luz de uma sala de estar, que se espalha igualmente por todo o ambiente. Mas se você quer iluminar um espaço, criando nuances, profundidade e, principalmente, dando uma atmosfera ao ambiente, você precisará dos equipamentos certos.

Mas antes de comprar qualquer equipamento de iluminação, é precisso estudar seus efeitos. Há diferentes tipos de lâmpadas, refletores, rebatedores e difusores. Eles possuem preços e tamanhos diferentes – o que é importante se atentar, já que talvez você precise fazer gravações em lugares distantes. Avalie: eu consigo transportar esse equipamento? A alimentação de energia dele é compatível com qualquer tomada?

E se no final dessa lista o seu orçamento já estiver estourado, há também manuais na internet de como fazer em casa seus próprios equipamentos de iluminação gastando pouco. Na produção audiovisual, o improviso nunca está errado se o resultado final for satisfatório.

E aí, gostou das nossas dicas? Fique à vontade para fazer um comentário neste post, com dúvidas ou outras dicas. Vamos lá!

Deixe seu comentário

Estudante de Cinema, trabalha com produção e edição de vídeos.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PROFISSIONAIS DE AUDIOVISUAL