Carreira

10 dicas para aprimorar sua criatividade, segundo Austin Kleon

Confira dicas do autor Austin Kleon no livro Roube Como um Artista que podem te ajudar a desenvolver a sua criatividade.

29 dias atrás

Em 2012, Austin Kleon lançou seu best seller intitulado Roube Como um Artista, onde oferece dicas práticas de como ser criativo na era digital. Nesse artigo, vamos destrinchar as principais ideias do autor para você aprimorar sua criatividade em sua vida e em seu trabalho.


1 - Roube como um artista

A primeira dica do autor, que inclusive dá título ao livro, é aceitar que nada é totalmente original. Logo, o desafio é não apenas abraçar suas referências e fontes, mas descobrir o que vale a pena “roubar”. Diferente de acumuladores, segundo Kleon, os artistas são colecionadores - ou seja, selecionam cuidadosamente o que vale a pena guardar.

Se estivermos livres do fardo de ser completamente originais, podemos parar de tentar construir algo do nada e abraçar a influência ao invés de fugirmos dela.

E por mais clichê que possa soar, você é composto por suas referências - sejam elas boas ou ruins. Talvez seja hora de rever os conteúdos que você consome e alinhá-los com o tipo de conteúdo que você quer produzir.


2 -Não espere até saber quem você é para começar

Fake it till you make it” (finja até conseguir) talvez seja a frase de ordem. Ninguém está pronto para fazer algo até que comece a fazer, e apesar do medo inicial que é paralisante, é essencial que você comece!

E para começar, tudo bem copiar as pessoas que te inspiram. A ideia não é realizar um plágio, mas um método de estudos. Como o próprio autor aponta, pintores aprendem a pintar reproduzindo obras-primas. E essa é, inclusive, uma ótima oportunidade para entender melhor o processo de criação de seus ídolos. Por isso, não estude apenas os trabalhos que te inspiram, mas também quem influenciou aquele trabalho. Descubra e estude os ídolos de seus ídolos.


3 - Escreva o livro que você quer ler

Aqui o autor sugere que você escreva sobre o que você gosta. Ele dá o exemplo de quando tinha dez anos de idade e escreveu uma continuação para o filme Jurassic Park em seu computador assim que acabou de assistir ao filme. O que na época nem ao menos era conhecido como fan fiction, hoje é uma febre que cresceu na internet e popularizou em livros publicados e filmes de grandes estúdios. Dá pra acreditar que 50 Tons de Cinza nasceu na verdade como uma fanfic +18 de Crepúsculo?

A autora E. L. James se permitiu escrever sobre o que ela gostava e, principalmente, um livro que ela gostaria de ler. Adivinha só? Outras milhares de pessoas também queriam ler aquele livro.


4 - Use suas mãos

Você já teve a impressão de que não fez nada durante o dia inteiro após passar horas em frente ao computador? A imobilidade e a falta de movimentos na frente da tela podem ser fatores limitantes de seu trabalho. A criatividade é resultado de um exercício mental, mas também físico.

Trabalho que vem só da mente não é nada bom.

Encontre maneiras de envolver seu corpo em seu trabalho ou processo criativo. Podem ser ferramentas analógicas, como os antigos papel e caneta, um quadro de camurça com taxinhas… O autor sugere até mesmo a criação de dois espaços de trabalho: um analógico e outro digital.

Seu processo de criação será manual, na mesa que contém lápis, caneta, papel, tesoura, cola - tudo que estimule seu trabalho manual. Ao começar a ter ideias, você pode mudar para a mesa digital e utilizar o computador como um auxiliar na execução do trabalho. As ideias acabaram? Volte para a mesa analógica.


5 - Projetos paralelos e hobbies são importantes

Ter vários projetos paralelos permite que você caminhe entre diferentes ideias e métodos, evitando, assim, um esgotamento. Enjoou daquele projeto? Pule para o próximo. Enjoou desse? Retorne ao anterior.

Kleon ainda defende a “procrastinação produtiva”: “reserve um tempo para ficar entediado”. Para ele, esse tempo de tédio para fazer nada é muito produtivo para a criatividade. Então sabe aquele podcast que você escuta toda vez que vai lavar a louça ou limpar a casa? Talvez seja uma boa ideia desligá-lo e aproveitar o tédio do silêncio. Ele pode ser uma porta para boas ideias.


6 - O segredo: faça um bom trabalho e compartilhe-o com as pessoas

Apesar de paralisante, o início tem uma vantagem sobre todo o resto do percurso: o anonimato. Ser desconhecido te dá mais liberdade para experimentar, para errar, para se divertir.

Aproveite seu anonimato enquanto durar. Use-o.

É claro que a ideia é que o anonimato não dure para sempre, afinal, seu trabalho só existe se for compartilhado e a internet é a sua maior aliada. E não use essa ferramenta apenas para compartilhar o trabalho final - compartilhe partes do seu processo. Muito provavelmente você encontrará pessoas que têm os mesmos interesses que você, então compartilhe com elas esboços e fragmentos de suas ideias.


7 - A geografia não manda mais em nós

Novamente ela: a internet. Além de abrir espaço para o compartilhamento de nossas ideias e projetos, a internet impactou nosso processo criativo como um todo. No AvMakers, por exemplo, você é capaz de fazer cursos profissionalizantes com grandes professores que atuam no mercado de trabalho mesmo não morando nas grandes capitais - locais que antes da popularização da internet concentravam esses espaços de troca.

Além disso, tudo está ao alcance de seus dedos: todas as músicas, livros… De dentro de casa você consegue acessar o mundo. Isso não quer dizer que você deveria se isolar - muito pelo contrário! O ambiente familiar e a rotina do seu cotidiano tendem a te deixar confortável demais. O desconforto do desconhecido te coloca em movimento, te coloca para pensar.


8 - Seja legal

Com essa dica você vai conseguir conexões e, principalmente, amizades. Ninguém chega a lugar nenhum sozinho. Se cerque de pessoas talentosas - seja no ambiente digital ou físico.

Se você alguma vez perceber que é a pessoa mais talentosa na sala, está na hora de achar outro lugar para você.

E, na medida do possível, não dê bola para os haters - a não ser que isso seja um combustível para o seu trabalho. Mas, de qualquer forma, não concentre sua energia em reclamações e discussões que não vão levar a lugar nenhum. Você não precisa (e nem deve) corrigir todas as pessoas que estão erradas na internet - elas são muitas!


9 - Seja chato

Sim, às vezes vocês vai precisar ser. Estar longe de certas preocupações vão permitir que sua cabeça não esteja tão ocupada, poupando energia para a sua criatividade. Aqui, vamos de autocuidado, como exercícios físicos e alimentação, a responsabilidade financeira - poupar dinheiro e ter uma renda fixa já são meio caminho andado.

Muitas vezes não será esse emprego que te trará realização profissional, mas é ele que vai pagar as contas. É claro que seria ideal que ao menos você adquirisse experiências em diferentes áreas, que futuramente poderiam ser úteis para seus objetivos, mas caso isso não ocorra, encare a rotina como uma possibilidade para organizar seus horários - tanto para o trabalho quanto para seus projetos pessoais.

O truque é encontrar um emprego fixo que pague decentemente, não o faça querer vomitar e o deixe com energia suficiente para fazer coisas no seu tempo livre.


10 - Criatividade é subtração

Por fim, Austin Kleon encerra suas dicas lembrando que talvez mais importante do que ter muitas ideias, projetos e possibilidades é saber selecionar o que deixar de fora. As restrições podem ser suas aliadas, já que por vezes a liberdade é limitadora.

Componha uma música no seu intervalo de almoço. Pinte um quadro com uma única cor. Comece um negócio sem qualquer capital de empresas start-ups. Faça um filme com seu iPhone e alguns amigos. Construa uma máquina a partir de peças avulsas. Não invente desculpas para não trabalhar - faça coisas com o tempo, o espaço e os materiais que você tem, agora mesmo.

A última dica do autor é: No fim das contas, criatividade não é apenas o que escolhemos usar, são as coisas que escolhemos deixar de fora. Escolha com sabedoria. E divirta-se.


Referências

Roube Como um Artista, de Austin Kleon

Autor(a) do artigo

Rafael Alessandro
Rafael Alessandro

Professor, coordenador e produtor de conteúdo no AvMakers. Rafael Alessandro é formado em Comunicação, graduando em Cinema e Audiovisual e mestrando em Cinema e Artes do Vídeo pela Faculdade de Artes do Paraná.

Todos os artigos

Artigos relacionados Ver todos