Carreira

10 lições de grandes editores

mais de 2 anos atrás

Algumas dicas de profissionais de peso na área da edição podem até ser difíceis de encontrar, mas aqui vão alguns vídeos com 10 macetes de experts dentro dessa área da indústria audiovisual.

A edição é uma das formas de arte mais mal compreendidas dentro do cinema e da televisão. Muitas pessoas acreditam que se trata de alguém trancado em um quarto escuro fazendo montagens de gravações, quando, na verdade, trata-se de um processo complicado que envolve habilidades muito fortes em storytelling.

Tem muito vídeo na internet que pode te ensinar a base da edição, mas o que a gente vai falar aqui tem foco mais na teoria que atua por trás da edição como a gente costuma ver mundo a fora.

Inspirado pelo livro “Art of the Cut”, confira o vídeo do This Guy Edits que entrevista os editores e gleans e ver que importantes lições eles tem para compartilhar. (O vídeo tem legendas disponíveis ;) )

1. Mantelha o seu ego em ordem

A primeira lição é uma das mais importantes. Edição não fala sobre uma constante batalha entre o editor e o diretor do projeto. Muito pelo contrário: ela fala mais sobre uma colaboração entre essas partes. É mais sobre como você e a direção podem fazer para criar um conteúdo que tenha real qualidade.

No vídeo abaixo, Affonso Gonçalves, diretor de Carol (2015), fala sobre o perfil temperamental de quem trabalha com edição.


2. Confie no processo da edição

Toma tempo para editar um filme ou um programa de TV. Não é na primeira passada de olho ou na última que todas as respostas serão encontradas. A edição em si fala mais sobre o quanto o editor ou editora confia que o processo da edição por si mesma é capaz de dar respostas às necessidades para que o projeto alcance seus objetivos.

Já nesse vídeo, Lee Smith, editor de Interstellar (2014), também fala sobre sua experiência e de como editar uma cena.


3. Ideias ruins levam a boas ideias

Enquanto o filme A Chegada (2016) estava sendo cortado, há uma história de como o diretor e o editor perceberam que havia uma cena que estava faltando. A cena em que o sonho é falado em língua alienígena. A questão é que eles não tinham essa cena — o que seria, digamos, uma grande desvantagem.

Porém, ao invés de perder o rumo essa foi uma boa coisa para o projeto do filme: eles poderiam começar essa cena do zero, o que deu uma certa liberdade de criação. E isso não só ajudou a reforçar a conexão entre a protagonista e os alienígenas do filme, como talvez ajudou a elucidar a temática sobre conexões e o tema desenvolvido durante o filme. Essa grande ideia veio justamente de algumas ideias “ruins” que apareceram na edição. Então é sempre bom abraçar esse tipo de ideia.


4. Edição é Edição

Editar é um processo de revisão de conteúdo. Por mais que pareça clichê dizer isso, você tem que estar tranquilo quanto ao corte de uma cena ou de outras coisas que precisem ser tiradas. Edição não fala só de montar as gravações. Edição fala sobre fazer ajustes, estabelecer linhas e limites e elaborar a história que está sendo contada. O roteiro é o rascunho, enquanto a edição é o processo final. Não tenha medo de fazer os cortes necessários e mantê-los dentro da sua produção. Dê uma forma de amarrá-los.

Nesse outro vídeo, o pessoal do This Guy Edits passa pela criação do suspense na edição de Lee Smith no filme de Christopher Nolan, Dunkirk (2017). Durante o vídeo o efeito de “Suspense de Bola de Neve”, Snowball Suspense, é explorado e comentado de maneira a explicar como esse recurso tornou o filme o sucesso que ele é.


5. Organização = Editing

Não existe nada mais lindo de se ver do que uma timeline organizada. E você tem um monte de cenas para passar por ali. Por mais genial que você seja, dividir e montar as partes de um filme ou de um programa de televisão e colocar tudo isso junto requer de muita eficiência tanto quanto precisa que o resultado seja bonito. Então se organize para que das pequenas partes que você terá de montar você consiga chegar no todo.

O vídeo abaixo é um pequeno tutorial do pessoal do canal Adobe Masters de como organizar a sua timeline de maneira que você consiga ter o máximo de eficiência na hora que estiver trabalhando.


6. Só faça.

Se você realmente que entrar de cabeça no mundo da edição, edite o máximo que puder. Grave as coisas pelo celular. Seja voluntário ou voluntária para curtas. Junte o máximo de experiência que você puder. Você só melhora as suas habilidades tentando.

Mais um vez, o pessoal do canal This Guy Edits traz dicas muito rápidas de edição para implementar seu trabalho.


7. O Storytelling é como um músculo

O que eu sei sobre a história? Acho que é o tipo de pergunta que todo editor deveria fazer a si mesmo quando começa a trabalhar em algum novo projeto. Então, assista, crie, assista mais, edite mais e mais sobre o mesmo. A melhor coisa sobre o storytelling é que ele é o tipo de habilidade que você pode aprender começando pelas coisas que são pequenas.

Nesse aqui, o pessoal do canal Criswell traz uma reflexão da capacidade de contar histórias através da edição.


8. Cuidado com as cenas de reação

Em edição, você quer que as coisas tenham seu valor e fiquem, à sua maneira, claras apesar dos cortes. Pra fazer isso, muitas vezes, você vai ter que deixar que a personagem entregue essa clareza dentro da história: as pessoas precisam ver como e quando as falas e interações de uma personagem afetam a outra, porque isso cria justamente o contexto. Do contrário você pode justamente atrapalhar esse andamento e compreensão da história. Então, cuidado ao cortar uma fala justamente para não acabar cortando a personagem em si.

Aqui o canal Film Editing Pro traz o porquê das cenas de reação são tão importantes.


9. Quão úteis são os tutoriais no YouTube?

Isso parece ser uma lição ruim dada a natureza desse post, mas o tempo que a gente gasta vendo alguns desses vídeos pode realmente importar.

Tem muito conteúdo por aí que ensina muita coisa, mas tente filtrar de onde você retira as informações, procurando dicas e tutoriais de profissionais que já estão na área e que tem uma bagagem.

Existe um material realmente muito bom disponível na internet e há plataformas que são dedicadas exclusivamente na produção e na divulgação de um conteúdo com curadoria e que é pensado levando em conta aquilo que é feito dentro do próprio mercado audiovisual. E claro, não esqueça, a prática também é muito útil.

Convido você, aliás, a checar algum dos nossos cursos aqui no AvMakers.

Adobe After Effects CC - Primeiros passos
Curso Adobe After Effects CC - Primeiros passos
Conhecer o curso

Nesse vídeo, Justin Odisho traz mais algumas dicas que todo editor de vídeo deveria implementar no seu trabalho.


10. Aprenda quando não cortar.

Tem alguns elementos dentro de alguns projetos que só podem ser alcançados em termos dramáticos quando você deixa uma certa cena tomar o tempo dela. Muitas vezes o melhor poder da antiga tesoura no filme, atual razor no Adobe Premiere, o maior bem que essas ferramentas possam fazer à obra em si, é interessante que ela seja deixada de lado de vez em quando. Por mais que o trabalho de um editor seja normalmente voltado justamente ao corte e ao ajuste por meio dele, você deve estar preparado para quando esse tipo de coisa acontecer.

Já esse foi o canal CineFix que trouxe a importância de se saber quando é o momento adequado para se cortar…e quando não é!

Por fim, é importante entender que não existe uma maneira perfeita de se editar e que, como uma receita de família, cada um faz da maneira que lhe parece mais correta. Acima de tudo o que foi dito, permita-se experimentar novos conteúdos e formas de contar e narrar histórias: mais do que simplesmente “um cortador”, o editor é uma das peças fundamentais para que a obra, como um todo, tenha sentido.

Fonte: No Film School

Autor(a) do artigo

João Leite
João Leite

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.

Todos os artigos