A versão “menor” da Ordem do dia (Parte II)

A dica agora é pra quem quer economizar um tempo: sua equipe é pequena, mas ainda assim, as coisas precisam ficar claras e você não quer perder o controle do que acontece no set.

Antes de adotar esse padrão de Ordem do Dia, você precisa saber se sua equipe está “acostumada” à ideia de uma Ordem do Dia que seja um pouco menos “formal” do que aquela que a gente passou aqui.

Trabalhando com profissionais de diferentes backgrounds você tem que parar um pouco para pensar que pode ser que alguns profissionais já tenham em mente outra forma de trabalhar, e isso pode gerar alguns problemas de execução no projeto.

Mas vamos assumir que está tudo certo e você tem uma equipe que está no mesmo mood que você, assim, o primeiro passo é pegar todas as informações que serão úteis para equipe e trabalhar em cima delas, enviando uma versão para cada parte por e-mail ou mensageiros como WhatsApp, Telegram ou outros.

De forma geral, as informações que precisam estar nessa versão mais “dinâmica” da ordem do dia são

  • Horário de Chegada.
  • Data.
  • Endereço da locação.
  • Informações de estacionamento.
  • Cenas que serão gravadas.
  • Hospital mais próximo.

Basicamente é isso. Tudo enviado por e-mail e via texto no celular. É simples e vai cobrir a maior parte do que será feito no dia da gravação sem maiores problemas.

As vantagens de uma Ordem do Dia mais dinâmica

A vantagem desse modelo é que o acompanhamento da Ordem do Dia para a Assistência de Direção se torna algo um pouco mais fácil, já que tudo pode ser feito acompanhado da tela do celular e com informações que estão dispostas de uma melhor maneira.

Por parte da equipe é ainda mais fácil: a confirmação de recebimento pode ser feita a partir de uma ligação de celular ou por um “Okay. Recebido” enviado por mensagem. É um jeito de todo mundo ser notificado e informado do que vai acontecer no dia.

Numa gravação grande, a Ordem do Dia precisa ser melhor estruturada porque, querendo ou não, ela tem todas as informações daquela gravação, e isso costuma exigir um pouco mais em termos de programação, logística e gerenciamento de equipes.

Mas quando se trata da cobertura de algo menor em que o número de pessoas será bem mais reduzido, faz todo sentido reduzir a burocracia justamente em nome de um pouco mais de tempo: é mais fácil trabalhar com informações que são críticas para todos os membros e eventualmente fazer pequenas correções ou adaptações àquilo que está sendo feito.

Deixe seu comentário
Share
João Leite

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.