Rack Focus: o que é e como usar

O rack focus é um dos mais essenciais movimentos pra todo filmmaker. Mas como e por quê você deveria usá-lo?

Veja se não é familiar: você está lá, assistindo um programa ou filme, e você percebe uma súbita mudança na profundidade de campo que direciona seu olhar para alguma coisa diferente que está sendo mostrada na tela. Pois é, você acabou de experimentar o rack focus.

O Rack focus é bem comum em filmes e até na televisão porque eles facilitam o direcionamento da atenção do público de um objeto para o outro.

Mas como você consegue esse efeito? Tem algum momento ideal para usá-lo?

É por isso que hoje a gente vai falar um pouquinho sobre ele, além de ver alguns exemplos e aprender um pouco mais sobre como utilizá-los nas suas produções.

Mas antes, dá uma olhada no vídeo que o portal No Film School fez explicando o efeito e dando alguns conceitos bem legais sobre seu uso no link abaixo. (Não se esqueça de ligar as legendas)

A definição

Na verdade, a definição do rack focus é bastante simples:

Ele consiste na prática de alterar o foco de um ponto a outro durante a gravação de uma cena.

E como reproduzir esse efeito

O primeiro passo é conseguir uma lente com foco manual e ativar o modo de foco manual na câmera. A única coisa que importa aqui é que você consiga manipular o foco. Claro, você vai querer que sua câmera esteja bem fixada em um tripé ou algo do tipo para que sua imagem não fique tremida no momento em que variar o foco — a não ser que isso faça parte da linguagem do seu filme.

Assim, tudo o que você precisa, a partir disso, é ter dois objetos ou mais em cena — atores ou objetos mesmo — e alterar o foco de um para o outro. Às vezes, é mais fácil marcar onde está esse ponto no anel do foco da sua lente com alguma fita adesiva (fita gaffer ou até mesmo a queridinha fita crepe) pra que você não tenha que fazer isso sempre na base do “olhômetro”. Aí é só começar a gravar e fazer essa passagem de um ponto de foco para outro.

A gente separou um exemplo com uma cena do filme A Primeira Noite de Um Homem (1967) no qual o rack focus vai da filha para mãe, que escuta atrás da porta.

E pra quem gosta de ver a cena inteira, aqui em baixo tem o link do vídeo (que você pode ativar as legendas, se preferir).

Em Filmes e na Televisão

Como a gente já vem falando, o rack focus pode ser usado de muitas maneiras. Nessa cena de Cassino Royale (2006) fica nítido o uso do efeito, principalmente nos primeiros instantes, quando, depois de entrar, James Bond percebe a taça de vidro quebrada, o que mostra onde está a atenção dele naquele instante.

E se a gente usar o rack focus pra criar tensão?

Esse efeito pode ser observado em O Hospedeiro (2006). No filme a gente consegue ver a mudança do foco de maneira mais “lenta” pra criar um ritmo que aumenta a tensão do filme. O rack focus nesse caso mostra os rapazes, tensos, tentando se misturar à multidão no corredor, efeito que é conseguido até o foco recair sobre uma das funcionárias que os identifica. Novamente aqui temos o foco como uma espécie de fio condutor que leva o público por onde ele “deve” seguir dentro da história.

Mais do que o clima, o rack focus pode ajudar na construção da cena em si

No filme Jovem Rainha Vitória (2009) , toda a opulência do jantar, a distância entre as personagens, entre outros detalhes, são bem demarcados a partir desse efeito. Os primeiros segundos, nos quais é repassado a imagem das taças, perfeitamente alinhadas, cria uma noção de grandeza sem fim, uma característica útil num filme para se reforçar a ideia de uma monarca.

Por fim, o rack focus mostra-se como uma ferramenta muito útil justamente pela sua versatilidade: muitas ideias podem ser associadas a partir dele, seja para ajudar na narração da história ou seja simplesmente para direcionar a atenção do público dentro dela.

Fonte: No Film School

Deixe seu comentário
Share
João Leite

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.