5 Dicas de pré-produção

Para quem está começando a carreira audiovisual, o momento que um cliente pede um vídeo pode ser um tanto quanto confuso se algumas perguntas básicas não são feitas logo de início.

Quando um cliente entrar em contato te pedindo por um material audiovisual, é interessante que você tenha em mente algumas perguntas que vão nortear o seu trabalho, como: qual é o público alvo? Qual é a ideia que o contratante pretende contar com o vídeo? Qual mídia será utilizada para transmitir essa ideia?

A sua função enquanto filmmaker é atuar como tradutor dessa ideia: seu cliente normalmente não saberá as etapas, efeitos e detalhes que envolvem a produção de um vídeo. O que se tem, normalmente, é a ideia que o cliente quer transmitir, e você será o (a) responsável pela transformação dessa ideia — que até então só acontece na cabeça do seu cliente — em algo palpável.

E é válido dizer que pode acontecer de o cliente também não saber que história ele quer contar com o vídeo: o famoso “preciso de um vídeo para vender mais” ou “quero apresentar minha marca” e por aí vai. Ideias que são genéricas, mas que precisam ganhar uma forma mais concreta para que você possa trabalhar com elas.

Prepare-se

Antes de tudo, todo filmmaker precisa consumir muito conteúdo audiovisual: filmes, séries, curtas, propagandas, vídeos institucionais. Tudo conta!

Essa parece uma dica extremamente óbvia, mas é justamente ao conhecer as novidades dentro da área que você vai poder encontrar formas de aplicar aquilo que você precisa no material que irá produzir.

É só a partir daquilo que já foi feito que você pode construir suas referências e apresentar para o seu cliente algo visível da ideia dele através daquilo que você foi capaz de esboçar, indicando formas que certas cenas e abordagens podem ser feitas para cumprir com os objetivos propostos pelo seu cliente.

Foque no resultado

Por mais interessante que possa ser o último modelo de um drone para obtenção de imagens aéreas, é mais interessante para o seu cliente que você assegure que o objetivo proposto seja cumprido, que é fazer imagens aéreas do local da gravação.

Quando um cliente vem até você para planejar e executar um vídeo, ele está mais interessado no resultado final do que como você vai fazer para realizá-lo. E você deve estar atento(a) para esse tipo de detalhe.

Estude detalhes que você não sabe

Por mais atento(a) e antenado(a) que você possa ser, sempre haverá algo novo que você pode aprender e que pode ser muito útil no seu trabalho. Assim, tente sempre se atualizar e aprender novas técnicas audiovisuais que podem ajudar você a implementar o seu trabalho.

Aqui no AvMakers, por exemplo, temos vários cursos sobre diferentes áreas do audiovisual, e que são frequentemente atualizados sempre com o que há de mais recente.

Tenha em mente que, muitas vezes, seu cliente pode até vir com uma referência pronta de um vídeo que ele viu e quer igual: caso se trate de algo que você ainda não saiba, pode ser que você perca o cliente justamente por não conhecer a técnica que ele está disposto a pagar para ter; por outro lado, ao se manter ligado nas produções de outros filmmakers, e sempre que possível testar novas técnicas, você estará apto para encarar novos desafios. Por isso a importância de sempre estar antenado(a) do que acontece no mundo audiovisual.

Além disso, dentro daquilo que você pode buscar, vale se perguntar “qual é a abordagem que os concorrentes do meu cliente têm sobre um mesmo serviço?”. Estudar a maneira que outras pessoas tratam o mesmo tema é uma ótima forma de descobrir novas abordagens que podem ser feitas.

Faça um orçamento coerente

O seu orçamento para o cliente deve conter itens como a sua diária, o equipamento que você vai usar, as locações, a equipe necessária, e quaisquer outros itens que sejam necessários como atores, objetos de cena, etc.

Tudo isso deve ser orçado e previsto, além de ser apresentado de maneira estruturada para a aprovação do cliente, para saber se todas as coisas ali dispostas correspondem ao investimento que ele está disposto a fazer.

Organize-se

A gente sempre evidencia aqui o papel que o planejamento tem no sucesso da sua produção, e ele não poderia estar fora dessas dicas.

Uma vez que você já fez todos esses passos, você deve partir para um planejamento detalhado daquilo que será feito no dia da produção, como objetos que serão gravados, enquadramentos, equipe necessária em cada diária, entre outras coisas.

Estabeleça um planejamento e um cronograma bastante exato para que todas as coisas possam ser entregues na hora.

Lembre-se: atrasos geram efeitos em cascata no seu cronograma e fazem com que a sua entrega para o cliente também saia atrasada, o que pode inviabilizar trabalhos futuros ou pode fazer com que o contrato seja invalidado pelo não cumprimento do que foi acordado entre você e seu cliente. Lembre-se sempre de por uma “gordurinha” no prazo de execução dos seus serviços, assim, se algo levar mais tempo que o previsto, não irá comprometer o trabalho, e se entregar antes do prazo, seu cliente terá um motivo extra para ficar satisfeito.

Uma pré-produção que leva em consideração todos esses passos facilita a gravação e torna o planejamento da pós-produção muito mais fácil.

Deixe seu comentário
Share

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.