Color Grading

O que é Color Grading e Tratamento de Cor

Color Grading é o processo de pós produção de uma imagem, seu objetivo é adequa-la a diferentes mídias e também atingir a intenção artística desejada.

Antes _ Depois

Vários atributos da imagem podem ser trabalhados neste processo como:
Contraste;
– Temperatura de Cor;
– Saturação;
– Nitidez e detalhes;
– Nível de Preto e Branco;
– Desenho de luz;
Entre outros.

Esse processo ocorre em software de revelação digital como o Adobe Camera Raw, Lightroom, Adobe Premiere, DaVinci Resolve e o Final Cut X, por exemplo.

Softwares

Correção de cor é uma parte do processo de Color Grading.
Os termos muitas vezes são usados como sinônimos, mas podemos também dizer que a correção ou tratamento de cor tem o propósito de corrigir problemas técnicos da imagem, enquanto o Color Grading tem um propósito mais narrativo, de criar uma intenção artística desejada na imagem.

Algumas das preocupações comuns a correção de cor podem ser:
– Reprodução de cor mais fiel;
– Ajustes de exposição;
– Controle de Nitidez e desfoque;
– Adequação da paleta de cor;
– Compensação das diferenças entre takes de uma mesma cena.

Enquanto no Color Grading nos preocupamos com estabelecer o “look” desejado, criando o clima ou a emoção da cena.

É importante ressaltar que esses looks, ou intenções, não são inventados na pós. Eles já são planejados em conjunto com o Diretor de Foto e o Diretor de Arte, desde o planejamento dos elementos artísticos presentes na imagem até a iluminação e configurações de câmera. A pós produção digital é só a cereja do bolo.

Nesse PDF é apresentado um dos primeiros briefings do que depois se tornou a série Strangers Things. É nítido como o planejamento estético já inica logo na concepção da série e influenciam a direção de arte e a fotografia.

Além disso, a flexibilidade no tratamento depende muito da qualidade do material captado. A utilização correta de técnicas fotográficas e cinematográficas irão garantir a obtenção do melhor resultado final no tratamento.

Durante o tratamento são empregadas diversas técnicas como análise da imagem através do Histograma, Waveform e Vectorscope. Correções usando Three Way, Curvas RGB e HSL, Recortes de Cor, Máscaras, Traqueamento, entre outras ferramentas. Nos próximos artigos vamos discutir muitas destas ferramentas, e já abordamos diversos termos relacionados ao Color Managment aqui no blog, vale a pena conferir.

Perfil Log, o que é, para que serve e quando não usar

Provavelmente você já ouviu falar de LOG, ou já deve ter visto alguma cena como essa:

Log Lady

Mas você não sabe exatamente o que é Log? Porque gravar dessa forma se a imagem fica toda lavada? E quando não vale a pena gravar assim?

Bom, se você tem essas dúvidas, esse texto é para você!

O que é Log

Log é um perfil de gravação em câmera, ou seja, um formato de pós produção na câmera, que define como as informações de luz que chegam no sensor serão escritas como vídeo digital. Log é a abreviação do termo logarítmico, que é o cálculo empregado na curva de gama neste perfil, o que possibilita que um maior alcance dinâmico seja escrito no arquivo final.

Linear vs Logarítimico

A vantagem deste perfil, em comparação ao perfil linear tradicional, é reter mais detalhes nas sombras e brilhos do arquivo, possibilitando maior flexibilidade de tratamento e alcance de detalhes no arquivo. Porém, como o resultado da gravação fica “lavado” é necessário sempre um tratamento.

Log vs Tratamento
À esquerda imagem log original, na direita após o tratamento

Existem diversas variações de perfils log, alguns exemplos são:
– C-Log ou Canon Log
– D-Log ou DJI
– F-Log ou Fujifilm
– S-Log na Sony
– V-Log na Panasonic

Vantagens e Desvantagens

Essa curva é aplicada na pós produção, ao criar o vídeo digital, então perceba que é diferente do RAW onde não acontece quase nada de pós produção. Embora o LOG preserve um pouco mais da amplitude de luminância, ele não tem o intuito de preservar MAIS informações, pelo contrário, em alguns casos ele pode até fornecer MENOS informações, diferente do RAW que tem a intenção de reter a totalidade de informações que chegam ao sensor.

Percebam na imagem abaixo, este é um frame de vídeo captado em Vlog, ao lado vemos um gráfico Waveform. Vejam como as informações de luminosidade ocupam poucos bits cerca de 128 variações, algo próximo de 7bits, utilizando metade das informações possíveis se comparado a uma imagem gravada em um perfil tradicional.

Vlog sobre Waveform

Se esse vídeo for gravado em 8bits em um codec com compressão, ele pode sofrer de banding ou posterização, além de apresentar mais artefatos de compressão, devido a simplificação de tons semelhantes.

Banding e Compressão

O ideal para este tipo de arquivo é gravar em um formato de maior qualidade como por exemplo em 10 bits. Isso pode ser feito internamente em algumas câmeras, como a GH5 ou utilizando gravadores externo como o Atomos Ninja V. Outra vantagem de monitor externo é usar um LUT para poder monitorar a gravação mais próximo do resultado final e facilitar a visualização.

Atomos Ninja V

Para evitar ruídos e aproveitar ainda mais essa curva é comum utilizar a técnica ETTR (Exposure To de Right), onde a imagem é superexposta, gravando mais à direita no histograma, para que no tratamento as sombras sejam comprimidas,

Durante o tratamento, para facilitar, você pode utilizar um LUT de conversão. Ele irá fazer o processo de transformar a curva de gama LOG em uma curva Linear. Escolha obviamente um LUT compatível ao perfil log utilizado e o resultado que deseja obter.

Lembre-se que o resultado irá variar de acordo com a exposição da cena, e sempre utilize um nó anterior ao LUT para o tratamento primário.

Okey, percebemos então que existem vantagens e desvantagens na utilização do LOG. Se você tem muito contraste na cena, altas muito intensas e sombras com detalhes e precisa preservar isso, o log é uma boa opção. Porém, em cenas com baixo contraste, luz controlada, não há necessidade. Lembre-se que esse perfil exige mais etapas na hora do tratamento, além de não ser ideal para gravação em 8 bits, já que sofrerá mais com compressão e ruído.

DaVinci Resolve 14: por que ficar de olho no editor de vídeos da Blackmagic?

A Blackmagic está à frente com o software gratuito de edição profissional mais avançado do mercado: o DaVinci Resolve 14. Esse software de pós-produção audiovisual vem ganhando cada vez mais espaço no mercado devido à sua capacidade de edição de vídeo, correção de cores e ferramentas de áudio. Tudo em uma única aplicação.

Os recursos extremamente avançados são disponibilizados gratuitamente na versão free do DaVinci Resolve 14 com opção para Mac, Windows e Linux. Há também a versão Studio, que contém diversos efeitos adicionais além de um poderoso filtro anti-ruído.

A atualização do DaVinci Resolve 14, lançada em setembro/17, inclui a junção das ferramentas de áudio da Fairlight, novos efeitos, diversas melhorias para edição de vídeo, e desempenho até 10 vezes mais rápido do que antes.

Principais ferramentas oferecidas pelo DaVinci Resolve 14

Edição dinâmica

O DaVinci Resolve 14 suporta reprodução instantânea de alto desempenho que permite uma edição suave, rápida e precisa, mas claro que depende da configuração adequada de hardware. Além de possuir uma interface responsiva e intuitiva, excelente para editores experientes e até mesmo para iniciantes.

A sobreposição de áudio permite que o usuário visualize simultaneamente a forma de onda e o videoclipe no Source Viewer, de forma a ser possível marcar os clipes que serão usados na edição, sem dificuldades.

As ferramentas de cortes são avançadas, sensíveis ao comando do mouse e a diversos atalhos que agilizam o processo de edição. É possível cortar vários clipes e inclusive acertar ao vivo, durante a reprodução em loop, para edições mais precisas. Qualquer tipo de edição é suportada: inserir, substituir, ajustar para preencher, Three-Point Editing e Four-Point Editing, entre outros.

A nova ferramenta de bloqueio de posição evita que os clipes se movam acidentalmente, no entanto permite que o clipe possa ser selecionado e customizado através da personalização de suas propriedades.

A edição de imagens de várias câmeras em tempo real permite edição sincronizada de áudio e vídeo, igual aos diversos softwares de edição disponíveis no mercado, mas vai além disso, possibilitando também os cortes independentes, controlando áudio e vídeo separadamente. Os ângulos podem ser sincronizados com base em timecode e por waveform.

Os efeitos não ficam por menos. Com o DaVinci Resolve 14 Stúdio o usuário tem disponível uma grande variedade de filtros, como refinamento de faces, removedor de dead pixels, grãos de filme, removedor de ruídos e muito mais.

DaVinci Resolve - Edição
Curso de DaVinci Resolve - Edição
CONHEÇA O CURSO

Correção de cores avançada

As ferramentas de correção de cores permitem manipular a luz e a cor de maneira deslumbrante, não encontrada em nenhum outro softwares de edição e pós-produção. O DaVinci Resolve 14 possui um enorme espaço interno de tonalidades, capaz de produzir imagens com qualidade 32 bits com gerenciamento de cores completo e aceleração GPU.

Os controles de contraste e deslocamento de cor são impecavelmente sutis e precisos. Os usuários gostarão dos controles avançados de ajuste primário, em que rapidamente pode-se ajustar a luminância e balanço RGB de forma global ou em áreas tonais específicas.

O editor de curva permite que o usuário modele rigorosamente a luminância com ajuda do conta gotas para seleção precisa da área tonal. Porém o Resolve possui 6 controladores de curva distintos, viabilizando, além do ajuste de luminância, que o usuário possa controlar também a matiz e a saturação.

Não podiam ficar de fora as ferramentas de correção secundária, como máscaras, traqueamento, recorte HSL, além de rastreadores 3D, que permitem seguir partes específicas de uma imagem, conforme o movimento ao longo do tempo.

O DaVinci Resolve 14 apresenta também uma gama de recursos de processamento de imagem RAW e HDR para trabalhar formatos de cores amplas, diversos controles de organização e fluxo de trabalho, como nós de ajustes, grupos, versões, galerias, Shot Match e controle, e muito mais, o que torna a experiência de color grading completa.

Áudio de Cinema

Na versão 14 as ferramentas de áudio do Resolve foram repaginadas e foi adicionado um módulo de trabalho totalmente novo, o Fairlight, com um enorme conjunto de ferramentas de gravação, edição, mistura, acabamento e masterização. É conduzido por um motor de áudio de baixa latência de última geração, projetado para lidar com até 1000 faixas de áudio de 24 bits.

Os novos recursos de suporte de áudio 3D possibilitam o trabalho com formatos espaciais, como 5.1, 7.1, Dolby, matriz multidimensional e, inclusive, 22.2.

Segundo Grant Petty, CEO da Blackmagic Design, “existem ferramentas fantásticas, mas são ferramentas da indústria da música. Essa é a cultura das ferramentas de áudio nessa indústria. Sentimos que esse era o grande problema a resolver, não queríamos ter de exportar nosso projeto, enviá-lo para um cara da indústria da música e, em seguida, trazê-lo de volta”.

O DaVinci Resolve 14 e a colaboração multiusuário

No workflow comum, os editores de vídeo, áudio e coloristas precisavam trabalhar de maneira independente, cada um em um software, e dependendo do término completo da edição de vídeo para poder iniciar os trabalhos de colorização e mixagem de áudio. Com o DaVinci Resolve todos podem trabalhar juntos, no mesmo projeto, simultaneamente, desde que o projeto esteja em uma rede de computadores. Essa é uma das grandes inovações do software, garantindo mais agilidade na produção audiovisual.

Melhor software de 2017 no NAB Award

O DaVinci Resolve 14, que muitos julgavam ser apenas mais uma atualização do software, surpreendeu a todos no lançamento na NAB 2017, ganhando o prêmio na categoria de melhor software de 2017 no NAB Award.

Segundo Grant Petty, “Com essa nova versão, não queremos fazer uma atualização incremental. Queríamos fazer um grande salto e abrir novos caminhos.”

O DaVinci Resolve 14 é a revolução completa na pós-produção, como se existissem três aplicativos de ponta em apenas um.

Gostou do nosso artigo? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades do setor!

Rosa e Azul: tendência nos videoclipes em 2016

A mistura do Rosa Quartzo (Pantone 13-1520) com Azul Serenity (Pantone 15-3919) parece ter dominado as principais produções audiovisuais do ano passado. Mas isso já era previsto pela Pantone, que anunciou no final de 2015 que essas cores comandariam 2016 – fato inédito, uma vez que até então apenas uma era escolhida como a “cor do ano”.

A combinação apareceu em peso em videoclipes internacionais, principalmente de música pop. Uma das responsáveis por essa tendência é Hannah Lux Davis, diretora de Bang Bang (Jessie J), Side to Side (Ariana Grande), Bad Things (Machine Gun), The Night is Still Young (Nicki Minaj), Into You (Ariana Grande), Miss Movin’ On (Fifth Harmony) – todos os clipes citados anteriormente apresentam a estética luminosa azul e rosa.

alt

A partir disso, não demorou muito para que a influência aparecesse em produções de outros diretores. Clipes como Can’t Feel My Face (The Weeknd), What Do You Mean? (Justin Bieber), YOUTH (Troye Sivan), Ginza (J. Balvin), Dangerous Woman (Ariana Grande) também misturaram as cores de 2016, chegando até mesmo à produções brasileiras: Não Me Toca (Zé Felipe ft. Ludmilla) e Fogo na Saia (Lexa).

Segundo a Pantone, a combinação transmite “equilíbrio, calma, bem-estar, tranquilidade, igualdade e dualidade”. Enquanto o Rosa Quartzo é um “tom delicado que transmite compaixão e compostura”, o Azul Serenity é mais arejado ao lembrar de um céu azul, sendo “relax mesmo em tempos conturbados”.

alt

Em suma, o Rosa Quartzo e o Azul Serenity foi para os videoclipes em 2016 o que o Teal and Orange é para o cinema há alguns anos. Para saber mais sobre esse fenômeno azul-alaranjado que vem ocorrendo na cinematografia, confira o artigo Why Every Movie Looks Sort of Orange and Blue (em inglês).

Para 2017 a Pantone já tem sua aposta: Greenery (Pantone 15-0343) – uma cor “refrescante e revigorante”, que “simboliza novos começos”. Já podemos esperar videoclipes com tons esverdeados?

alt

É claro que uma boa iluminação colorida sem ajustes na pós-produção não é nada. Para aprender mais sobre as características da cor, criar e aplicar looks aos vídeos, corrigir e equilibrar cores, o TreinaWeb oferece cursos de tratamento de cor, como:

Festival de cinema de Tiradentes e o cinema independente nacional

No período de 20 a 28 de janeiro de 2017 ocorre a 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes, um evento cultural que, não fosse a ousadia dos realizadores mineiros da Universo Produção em apostar e inovar na realização de um festival totalmente voltado para a produção nacional, sem caráter competitivo, e ainda de forma gratuita, muito provavelmente o cenário audiovisual brasileiro não estaria ocupando atualmente o lugar de destaque que se encontra.

A proposta do evento, que hoje tem grande destaque internacional, é servir como instrumento de reflexão, discussão, intercâmbio e impulso para o cenário da produção cinematográfica contemporânea, trazendo anualmente renomados cineastas, atores, produtores, críticos, entre outros profissionais da área – foram mais de 7 mil convidados ao todo, desde a primeira edição, em 1998.

E o que faz do festival ser tão especial? A exibição democrática de filmes independentes lado a lado com grandes produções, além da realização de oficinas, seminários, cortejos, exposições temáticas, espetáculos de rua, shows musicais e, o mais importante: uma experiência única aos participantes. Afinal, não é todo dia que temos a oportunidade de entrar de cabeça no que há de mais atual e transformador acontecendo no cenário audiovisual nacional, estar cara a cara com excelentes profissionais do ramo, fazer networking, importantíssimo para quem deseja se destacar no mercado, e ainda pegar muitas, muitas referências.

Neste ano, a mostra conta com uma homenagem às atrizes, diretoras e produtoras Helena Ignez e Leandra Leal, além da exibição de filmes dirigidos por Lázaro Ramos, Beto Brandt e Camila Pitanga, pelos renomados irmãos Carvalho, Murilo Salles, Rogério Sganzerla com o saudosista Copacabana Mon Amour, e aqui um destaque para a diretora Ana Johann com o longa documental O Que Nos Olha.

O filme é um convite para se voltar para dentro de nós, através da reflexão da diretora durante um momento delicado de sua vida pessoal, onde ela retorna para sua cidade de infância e revela objetos e histórias de alguns dos moradores que ainda vivem por lá.

A pré-estreia nacional de O Que Nos Olha será no dia 26 de janeiro, durante a 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes, mas por aqui ele não é novidade: esse filme faz parte do curso DaVinci Resolve – Tratamento de cor para longa documental. Através de uma proposta inovadora, eu – Bruno Baltarejo, professor – abordo todas as funções e workflow de um colorista profissional durante o processo de construção do Color Grading desse filme, enquanto os alunos acompanham o desenvolvimento completo desse projeto, desde as primeiras reuniões com o cliente até a entrega final do material, para exibição online e em festivais.

O processo de colorização, ou Color Grading, seria, digamos, a cereja do bolo no processo audiovisual. É uma etapa sutil, porém decisiva na finalização de qualquer filme, pois transmite sensações, dramaticidade, tem o poder de envolver, mesmo que subjetivamente, o espectador, ultrapassando a barreira da tela e criando uma conexão com o público final. Para quem está iniciando na carreira de colorista, esse curso é fundamental para conhecer, na prática, como funciona essa importante ferramenta e dominar todo o passo a passo da finalização de um filme.

O curso DaVinci Resolve – Tratamento de cor para longa documental Completo, e diversos outros cursos relacionados à cinema e vídeo, como Premiere Pro, DaVinci Resolve Edição, DaVinci Resolve Color Grading e After Effects, você encontra aqui no TreinaWeb.

Adobe Premiere Pro CC 2015 - Completo
Curso de Adobe Premiere Pro CC 2015 - Completo
CONHEÇA O CURSO
DaVinci Resolve - Edição
Curso de DaVinci Resolve - Edição
CONHEÇA O CURSO