Adobe

LUFS: Você sabe o que é e sua importância pro áudio digital?

LUFS, abreviação para o termo Loudness Units Relatives to Full Scale, é uma unidade de medida de áudio, assim como o famoso RMS, porém a principal diferença é que o RMS é medido com base nos equipamentos de reprodução de áudio, ao passo que o LU leva em conta a nossa percepção auditiva, que por não ser linear, adota cálculos logarítmicos.

Essa escala vem sendo discutida internacionalmente em diversos fóruns para acabar com a “guerra de volume” e conseguir padronizá-los. Em resumo, essa disputa iniciou na indústria musical, pois para chamar atenção de clientes e consumidores as masterizações eram feitas cada vez mais altas, em uma espécie de competição para ver quem conseguia mais volume.
Isso se estendeu para a televisão e inclusive para as plataformas digitais, como por exemplo, o youtube. Talvez você se lembre de ver algum programa de TV ou mesmo vídeo na internet e de repente a propaganda vir super alta ao ponto de te dar um susto.
Hoje, graças ao protocolo EBU-R128, estabeleceu-se regras e procedimentos para medição da intensidade subjetiva de áudio (Loudness) no Serviço de Radiodifusão de Sons e Imagens (TV) com tecnologia digital. Para quem quiser saber mais, visite o site oficial da ANATEL.

É importante destacar que no desenvolvimento da história do som no cinema ocorreram também alguns problemas que exigiram padronizações no sistema de entrega e reprodução do áudio. Surgiram para as salas de exibições protocolos como o Dolby Digital, que utiliza o tão falado sistema 5.1 (5 canais de médio-agudo para 1 subwoofer, responsável pelo sub-grave).

Então podemos dizer que a indústria cinematográfica voltada exclusivamente para salas de projeção estavam um passo à frente? Sim, até certo ponto isso pode ser considerado verdade. E o que isso tudo significa na prática? Se você entregar a mixagem de um filme que será projetado em um sala “x”, você deve finalizar nas especificações que são exigidas e compatíveis com aquele sistema, lembrando que os protocolos não valem só pro áudio, mas também pro vídeo.

E quanto ao serviço de streaming de filmes e vídeos, como funciona?

O Netflix, por exemplo, fornece uma cartilha explicando os formatos de entrega de áudio e vídeo e entre as exigências, temos que o máximo da amplitude sonora deve bater em -23 LUFS.
Já o youtube estabelece o padrão em -13 LUFS, sem muitas exigências envolvendo codec.
Nesse caso, temos que o youtube permite áudios com maior intensidade do que o Netflix.
“Ah certo, então o áudio do youtube é melhor?” Não. Os desenvolvedores sabem que o usuário possui um botão chamado “volume” em seus dispositivos e podem fazer os ajustes necessários.

Em resumo isso quer dizer que não adianta tentar fazer o som ser mais alto com a ilusão de que isso o fará ser melhor do que um som mais baixo. As plataformas têm seus próprios sistemas de medição e compressão, sendo assim, se enviarmos um arquivo de áudio com a dinâmica super comprimida para conseguir ter volume alto, esses arquivos, além da compressão que fizemos, vão sofrer a compressão ou limitação da própria plataforma. Então, no final das contas teremos 2 compressões, o que pode tornar o resultado sonoro bastante ruim, ao passo que, áudios com maior dinâmica e que respeitem esses padrões, terão um resultado sonoro infinitamente melhor.
Existem diversos plugins para medição de LUFS, alguns são pagos, como por exemplo esse da fabricante Waves:

Outros gratuitos como da empresa HOFA:

E alguns nativos do software que você estiver usando, como por exemplo, esse da Adobe:

Esses plugins, em geral, fazem somente leitura dos LUFS, cabendo a você fazer os ajustes necessários com seus respectivos processadores de dinâmica, como por exemplo, compressor e limiter.
Não se esqueça de sempre procurar por manuais informativos, pois os valores de LUFS podem mudar conforme o tempo, por isso, precisamos sempre estar atualizados!

PDF/X-1A no InDesign

O PDF é um formato desenvolvido pela Adobe, podendo ter variações em suas aplicações na parte gráfica e digital. Uma das variações que tem sido muito utilizada pelo mercado gráfico é a PDF/X1-A pois tem como propriedade principal tornar o seu arquivo final bem mais leve, facilitando o envio e armazenamento, mas mantendo a qualidade de todo o conteúdo do arquivo.

Adobe InDesign CC - Criação e Diagramação
Curso de Adobe InDesign CC - Criação e Diagramação
CONHEÇA O CURSO

Além desta propriedade principal da qualidade e peso do arquivo, o PDF/X1-A também é facilmente interpretado pelos softwares no momento de separação de cor para que seja preparada as chapas de impressão, no caso de uma impressão offset, por exemplo.

Após o finalização da diagramação do material para fazer o fechamento PDF/X1-A no InDesign é preciso seguir os seguintes passos.

Vamos exportar via menu File – Export ou Arquivo – Exportar.

O próximo passo é escolher o local onde o arquivo será salvo, nome do arquivo e o formato que vamos utilizar para o fechamento, que neste caso será o Adobe PDF (print).

Na sequência o InDesign apresenta uma janela de diálogo. Se não estiver como o formato correto, faça a opção de escolha pelo formato [PDF/X-1a:2001].

A próxima verificação é na parte de Compression ou Compressão, lá você vai verificar se a Image Quality está em maximum (qualidade máxima) para o fechamento do conteúdo.

Em Marks and Bleeds você pode optar qual as marcas de corte que serão utilizadas no documento e em Bleed and Slug podemos marcar as opções das medidas que serão utilizadas de sangra e área de corte dependendo das medidas que forem fornecidas pelo seu fornecedor gráfico.

(Essas informações devem ser coletadas antes do fechamento do arquivo.)

A próxima opção é o Output que fará a escolha do tipo conversão e saída de cor para o seu arquivo, mas a dica aqui é entrar em contato com seu fornecedor gráfico para verificar quais os modos de cor que ele trabalha, para otimizar e manter um padrão para uma maior realidade em relação ao fechamento do arquivo.

Para finalizar, vamos acessar Advanced – modo avançado para verificar se o preset se esta em alta resolução para transparência e também verificar o idioma do arquivo, podendo escolher a opção de português com as novas regras ortográficas.

Agora é só fechar o nosso arquivo clicando em Export, assim ele vai estar com o fechamento que será aceito pela maioria das gráficas atualmente. Inclusive, se precisar fechar esse arquivo como no caso de uma apostila e fazer a impressão em uma gráfica digital, também será aceito, pois, esse fechamento PDF print é requisito para a produção nas gráficas digitais.

Se você gostou das dicas não se esqueça de compartilhar. Grande abraço e até o próximo post! 😉

Conheça o nosso curso de InDesign e aprenda tudo o que a ferramenta tem a oferecer:

Adobe InDesign CC - Criação e Diagramação
Curso de Adobe InDesign CC - Criação e Diagramação
CONHEÇA O CURSO

Conheça as atualizações dos programas Adobe de áudio e vídeo para as versões 2018

Este mês, a Adobe atualizou seus softwares introduzindo diversos novos recursos ao Creative Cloud 2018. Confira o que mudou no Premiere Pro, After Effects e Audition:

Premiere Pro

Agora, você pode trabalhar em vários projetos simultaneamente – função que ajudará principalmente editores de séries, que precisam frequentemente abrir e fechar projetos de episódios individuais. Além disso, o usuário tem a possibilidade de compartilhar seu projeto e trabalhar colaborativamente com sua equipe de edição, o que permitirá concluir trabalhos mais rapidamente, sem se preocupar com a substituição dos arquivos do Premiere.

O update traz também novidades para os profissionais que trabalham com VR, permitindo a edição, aplicação de transições, títulos, gráficos e efeitos além de possibilitar trabalhar com exibição em head-mount usando óculos como o Rift, também há mais controles para edição de áudio imersivo ambisonics sensível ao posicionamento representado no vídeos.

Essa atualização do programa oferece também suporte a novos formatos, como o Sony X-OCN, e permite renderizar a maior parte dos modelos de animações exportados do After Effects sem a necessidade de ter o software instalado em sua máquina.

O painel Essential Graphics (Gráficos Essenciais) inclui controles de design responsivo para a criação de animações – incluindo controles baseados em tempo e posição para fazer com que essas animações respondam de maneira inteligente às alterações feitas na duração, proporção e no tamanho do quadro.



After Effects

O After Effects, está muito mais rápido com novos efeitos e funções acelerados por GPU, como as transformações de camada, desfoque direcional e desfoque de movimento da camada, além de apresentar o novo Maxon CINEMA 4D R19 Lite, trazendo melhorias no Viewport OpenGL, Sistema LinkTake em tempo real, efeito Paralaxe e outros.

Assim como no Premiere, o After Effects também apresenta novidades para VR, trazendo novas ferramentas que melhoram a experiência nessa tecnologia. Permitindo facilmente aplicar objetos 3D dentro do ambiente VR, fazer retoques como remoção do tripé com muita facilidade e criar uma maquete VR completamente do zero.

O novo After Effects CC 2018 permite sincronizar e controlar pontos de âncora de uma máscara, shape ou traçado através de expressões, facilitando e trazendo novas possibilidades para animações avançadas e traqueamento. É possível criar as expressões manualmente ou utilizando o novo script, Create Nulls From Paths, que facilita todo o processo criando automaticamente todos com Nulls e as expressões necessárias.

O programa permite, também, a importação de dados de várias origens para a criação de animações interativas e apresenta um editor de atalhos do teclado, tornando eficiente a atribuição e modificação dos atalhos do software.



Audition

Para o Adobe Audition – destinado à edição de áudio digital – a atualização trouxe uma opção de redução automática de volume da música – ideal para nivelar o volume da música por trás dos diálogos em um projeto extenso, deixando a mixagem de som muito mais rápida.

Há também melhorias como o bloqueio da saída de vídeo para a tela externa, alto desempenho para múltiplas faixas e a exibição das sobreposições de timecode de sessão e mídia no painel Vídeos.

Todos os detalhes sobre as atualizações do Audition você confere aqui.

Character Animator

Além de todas essas novidades, a Adobe disponibilizou a versão final do Character Animator – software de animação que até então era uma versão beta.

O programa é ideal para criar e dar vida a um personagem 2D, quando, a partir da webcam e microfone de seu computador, o programa atribui seus movimentos faciais ao personagem, fazendo com que ele aja e reaja de maneira mais realista.

Aprendendo a editar vídeos: por que apostar no Adobe Premiere?

Cada vez mais empresas utilizam-se de vídeos em suas estratégias de marketing. O YouTube, Facebook e Instagram como ferramenta de compartilhamento de vídeo contribuíram consideravelmente para que houvesse essa expansão no mercado audiovisual. Com a alta demanda, essa área requer profissionais capacitados e com sede de conhecimento e inovação.

Existem ótimos softwares de edição de vídeo disponíveis no mercado, como o DaVinci Resolve e o Final Cut. Entretanto, usar o Adobe Premiere fará a diferença em uma vaga de trabalho, pois ele é o mais pedido como pré-requisito em produtoras audiovisuais.

Quer aprender um pouco mais sobre ele? Confira o nosso artigo e fique por dentro do assunto!

Adobe Premiere Pro CC 2015 - Completo
Curso de Adobe Premiere Pro CC 2015 - Completo
CONHEÇA O CURSO

O que o Adobe Premiere tem de especial e como funciona sua assinatura?

O Premiere é um software em constante evolução, recebendo atualizações constantes, trazendo sempre novas ferramentas e uma variedade gigantesca de codec tanto para o ingest quanto para o render, sem a necessidade de transcodes, o que torna um software moderno e dinâmico.

Mas o que o torna especial no mercado e o destaca dos concorrentes é a sincronia com os diversos programas Adobe que auxiliam em várias áreas de foto, design e vídeo, como:

  • Photoshop;
  • Illustrator;
  • After Effects;
  • Media Encoder;
  • Audition.

O Premiere possui também Lumetri Colors, Scopes, máscaras, traqueamento, recorte HSL, para trabalho profissional com colorização, uma biblioteca enorme de efeitos, presets, transições e até opções de render DCP para cinema.

A aquisição desse software é realizada por intermédio do site da Adobe e na assinatura de um plano mensal da Creative Cloud, podendo escolher entre apenas o Premiere ou o pacote completo com todos os softwares da Adobe.

Há diversas opções de planos de onde consta as opções para pessoa física, empresas, estudantes, professores, escolas e universidades. Há também a possibilidade de utilizar a versão avaliativa que depois pode ser convertida para a versão paga sem dificuldades.

O Adobe Premiere já foi usado para editar filmes famosos?

Embora seja mais usado por filmmakers independentes, produtoras de publicidade e eventos sociais, Hollywood, também tem se beneficiado dos inúmeros recursos de vídeo que o pacote Creative Cloud possui, por meio de filmes, como Garota Exemplar, Deadpool, A Invenção de Hugo Cabret e Hail, Caesar!

Em Garota Exemplar, uma adaptação para as telonas do livro homônimo de Gillian Flynn e dirigido por David Fincher, foi usada uma gravação de alta tecnologia com resolução 6K. A equipe do longa fez uso do Premiere para edição e inclusão de efeitos, expondo a marca e mostrando como as soluções eficientes do software podem estar a serviço do cinema.

Fincher indicou o programa para outro diretor, Tim Miller, que esteve na produção do irreverente filme Deadpool. Miller conta em entrevista, publicada pela Adobe, que buscava um bom pacote editorial para usar em seu filme e cita as inúmeras funcionalidades, fácil operabilidade e rápida integração com outras ferramentas, deixando o processo mais ágil.

A continuação do filme Deadpool continua com a utilização do Premiere para edição e a tendência é que cada vez mais a poderosa indústria das superproduções de longa-metragem conte com esse software.

Por que fazer um curso de Adobe Premiere?

Um apaixonado pelo mercado audiovisual e que quer agregar conhecimento, turbinar seu currículo para conquistar uma boa vaga na área ou, até mesmo, pensar em empreendedorismo deve levar em consideração fazer um curso sobre o software.

O Premiere é um dos mais utilizados no Brasil e no mundo e oferece uma plataforma para edição com tudo que o profissional da área possa precisar, desde filmmakers independentes até produções cinematográficas grandiosas.

Dentre os assuntos que são ensinados, o estudante poderá contar com informações sobre:

  • Fundamentos da edição de vídeo e diversos exemplos práticos,
  • Importação e gerenciamento de arquivos;
  • Como usar a Timeline;
  • Edição não linear;
  • Multicamera;
  • Efeitos de transição;
  • Efeitos de acabamento.
  • Recorte, composição e Chroma Key;
  • Animação de textos;
  • Introdução ao tratamento de cor;
  • Mixagem de áudio;
  • Render e back-up.

Quanto mais conhecimentos estratégicos e técnicos você puder compor na sua experiência profissional, melhor será sua visibilidade no mercado audiovisual.

É interessante também estudar o Lumetri, principal ferramenta de correção de cores do Premiere. Isso trará um know how maior para lidar com situações de imagem digital, balanço de cores, ajuste de pele, nitidez, enfoque, estabilização, entre outros temas.

Como funciona sua interface?

Assim que você fizer o download do software e abrir o programa, uma tela inicial de boas-vindas aparecerá para te direcionar até a tarefa que deseja executar. Você pode criar um projeto novo e/ou ler alguns tutoriais da Adobe para assimilar melhor a ferramenta de edição.

Ao clicar em “novo projeto”, uma nova tela convencional surge para que você possa configurar o que deseja fazer, então é importante colocar o nome do projeto e local onde deseja salvá-lo.

As opções gerais e demais especificações podem também ser modificadas ou mantidas. Caso você queira a forma padrão mantida, basta clicar em “OK” para que as informações se apliquem ao projeto.

Logo em seguida, você visualizará quatro espaços que serão primordiais para a sua edição:

  • A parte superior à esquerda, painel Origem (Source), será exibido o arquivo original do seu vídeo;
  • Na parte superior à direita, o painel Monitor (Program), estará o preview da edição executada naquele momento;
  • Na parte inferior à esquerda, o painel Projeto (Project), encontram-se as opções que possibilitam a importação de outros arquivos para o seu projeto, como vídeos, áudios, imagens, etc;
  • Na parte inferior à direita você verá as paletas de ferramentas e a linha do tempo (timeline), painel aonde é feita a montagem do filme.

Com dois cliques no painel Project, você já pode fazer o upload do seu arquivo. Sempre verifique quais os formatos suportados: o Premiere possui uma vasta lista, que você consegue identificar dentro do próprio programa.

Assim que importar o arquivo, você precisa criar uma sequência para mexer nas funções de vídeo e áudio através da linha do tempo. Dê um clique com o botão direito no seu vídeo e vá para a opção “New Sequence From Clip“. Assim é criada uma sequência de linha do tempo do seu projeto baseado no vídeo de origem.

Dicas interessantes: com a barra de espaço é possível acionar e visualizar o que acontece no seu vídeo. A tecla “K” para o vídeo, a tecla “L” prossegue com o vídeo e a “J” faz o vídeo voltar. Se você apertar “L” ou “J” novamente, o vídeo irá numa velocidade maior.

Com o comando “Ctrl +SHIFT + K” você pode fazer cortes no vídeo, escolhendo quais momentos devem ser editados, e por fim “SHIFT + DEL” para apagar os trechos indesejados da linha do tempo.

Todas as ferramentas de edição de vídeo têm suas particularidades e possuem excelentes recursos para que um filmmaker possa executar um bom projeto. O que faz a diferença no final das contas é a edição em si, ritmo, linguagem e a capacidade de contar uma história de maneira relevante.

E aí, o que achou das informações acerca de como usar o Adobe Premiere? Foram relevantes? Se quiser aprender um pouco mais, conheça nossas videoaulas no YouTube e os cursos completos no portal. Ah, não esqueça de assinar a nossa newsletter para acompanhar todas as novidades do blog!

Adobe Premiere CC 2015 - Correção de Cor com Lumetri
Curso de Adobe Premiere CC 2015 - Correção de Cor com Lumetri
CONHEÇA O CURSO

Como trabalhar com paletas de cor

Ao iniciar qualquer projeto relacionado às áreas de criação, uma das maiores preocupações é em relação à paleta de cor que será trabalhada.

Neste artigo vou demonstrar de forma prática como produzir trabalhos harmônicos utilizando o Adobe Color que é uma ferramenta que possibilita criar um conjunto de paletas de cor para auxiliar as suas composições.

Eu utilizei como base as cores da logo do TreinaWeb, a ferramenta fornece a possibilidade de criar composições analógica, monocromática, tríade, complementar, composta, sombras ou personalizada, cada uma delas tem as suas aplicações específicas mas neste caso eu gerei todas as possibilidades para que pudesse ter uma visão mais ampla de todo o conjunto de cores.

Curso de
CONHEÇA O CURSO

Resultado de composição utilizando Adobe Color:

Para demonstrar a utilização destas composições, criei uma peça que poderia ser aplicada para redes sociais como uma capa de Facebook ou divulgação dos nossos cursos de Illustrator, pois o material criado tem como base objetos vetor.

A ferramenta veio auxiliar o projeto pois trouxe uma direção de como a criação poderia trabalhar com as cores com base nas composições resultantes.

Para essa produção eu utilizei o Adobe Color que é uma ferramenta fantástica, principalmente porque não tem a necessidade de ser um exímio conhecedor sobre teoria da cor e ela entrega um conjunto de composições de cores baseadas no círculo cromático.

Atualmente em nossa rotina de trabalho é fundamental otimizar os processos e o Adobe Color veio para suprir essas necessidades e auxiliar os criativos nos projetos do dia a dia.

Depois de criar uma composição que se enquadre no projeto e, estando logado com seu ID de usuário Adobe, existe a possibilidade de salvar essa paleta de cor, podendo até mesmo utilizá-la diretamente nos softwares como Photoshop, Illustrator entre outros.

A ferramenta funciona tanto direto no seu navegador quanto através de um aplicativo e está disponível para dispositivos IOS e Android, nele é possível criar e compartilhar essas paletas com outros parceiros que estejam trabalhando no mesmo projeto.

No caso do aplicativo ele pode capturar cores diretamente de uma fotografia e é possível manter uma referência de cor a partir de qualquer imagem.

Dicas

Vou também, deixar aqui, algumas dicas de outras ferramentas que trabalham com criação de paletas e tendências.

O Coolors é um site bem completo e gera umas paletas bem legais, ele tem uma opção de shades para a cor escolhida, as cores podem ser deslocadas em relação à sua posição da tela, o ajuste de cor pode ser feito em HSB, RGB, CMYK, PIC (que usa uma caixinha de cor como o color picker do Photoshop). Esse site site também oferece uma opção bem legal chamada SETS – que tem escolhas entre Pantone, Copic, Prismacolor e pelo nome da cor, após as escolhas é só exportar um PNG.

No Colour Lovers o mais interessante é que ele além de oferecer amostras de paletas de cor, patterns e shapes, ele também nos oferece uma busca de tendências como branding e websites.

O Shutterstock é um dos bancos de imagens mais completos e agora também traz um serviço de referência de paletas de cor baseada em imagens. Então, se você comprar uma imagem já ganha uma referência de paleta de cor super legal para trabalhar.

O colorscheme é muito simples e intuitivo de trabalhar, além de criar toda a variação de cor, ele oferece uma demonstração de websites baseados na paleta escolhida e ainda exporta HTML+CSS, XML, Text, ACO (Photoshop Palette) e GPL (GIMP Palette).

Nos próximos posts vamos ver como trabalhar com as paletas de cor dentro do Photoshop, Illustrator, Indesign e como gerar amostras de cor para padronizar todos os trabalhos futuros.

Grande abraço e até o próximo post! 😉

Curso de
CONHEÇA O CURSO

Nova atualização Adobe para softwares de áudio e vídeo

Já está disponível o novo pacote de atualizações da Adobe para seus softwares de edição de áudio e vídeo, e o TreinaWeb separou algumas das principais ferramentas que são novidade no Premiere Pro, After Effects e Audition CC:

Premiere Pro

O painel Essential Graphics (Gráficos Essenciais) possibilita a criação de objetos e títulos gráficos diretamente no vídeo com o mesmo mecanismo de texto utilizado no Photoshop e Illustrator – uma grande inovação para o Premiere Pro, que não atualizava seu mecanismo de títulos há muitas versões, e agora nessa atualização tem esse sistema todo repaginado.

Esse painel que também está disponível no After Effects representa uma integração entre os dois softwares, e permite a criação templates com controles personalizados para animações sincronizadas por meio das bibliotecas da Creative Cloud.
(Saiba mais sobre o Gráficos Essenciais no Premiere Pro e After Effects)

Confira uma demonstração do painel no Premiere Pro:

A atualização traz também o recurso Essential Sound Panel (Áudio Essencial) – um painel dedicado à manipulação de áudio, facilitando a mixagem, apresentando as opções de tratamentos diferenciados para áudios que são músicas, efeitos, diálogos ou som ambiente. A ferramenta auxilia na correção das faixas de áudio, melhora a clareza dos diálogos e ainda permite que a criação de efeitos sonoros artificiais.
(Saiba mais sobre o Áudio Essencial)
alt

Confira aqui todas as novidades da atualização do Premiere Pro.

Curso de
CONHEÇA O CURSO

After Effects

O novo painel Gráficos Essenciais, também disponível no Premiere Pro, permite uma nova maneira de compartilhar gráficos animados entre as duas plataformas através da livraria, e é o grande destaque desta atualização. Através dele é muito mais simples e prático criar artes customizáveis para serem usadas em uma edição de vídeo – permitindo facilmente que o motion designer crie uma animação base padrão, compartilhe com o editor e este altere diretamente no Premiere Pro apenas os parâmetros essenciais, definidos pelo designer no AE. São diversos parâmetros que podem ser sincronizados entre os dois software, como texto, transparência, desfoque, entre outros.

Confira uma demonstração do painel no After Effects:

O After Effects trouxe também como novidade um novo plug-in, o Camera-Shake Deblur (Efeito de correção da vibração da câmera), que ajuda a recuperar uma gravação desfocada causada pelo movimento da câmera.
(Saiba mais sobre o efeito)

alt

Nesta atualização, a Adobe também adicionou ao After Effects o painel Lumetri Scopes (Escopos de Lumetri), já conhecido no Premiere Pro. Agora, com esta adição, é possível fazer color grading profissional de maneira mais precisa e confiável.

O programa traz também a aceleração por GPU de antigos efeitos, como Drop Shadow (sombra projetada), Fast Box Blur (desfoque de caixa rápido), Fractal Noise (ruído fractal), Gradient Ramp (degradê de gradientes), levels (níveis) e offset (deslocamento); além de novidades, como suporte a gravações com alta taxa de quadros, organização simplificada de efeitos e exportação de perfis de cor para o Adobe Media Encoder.

Confira um resumo das novas funções, disponíveis aqui:

Curso de
CONHEÇA O CURSO

Audition CC

Com uma nova experiência de navegação, o Audition oferece descrições guiadas de tarefas comuns – facilitando o uso das ferramentas mais simples por quem não está tão familiarizado com o software.

A ferramenta Remix é ideal para recompor parte de uma música para que caiba na duração do vídeo – criando uma composição a partir da reorganização dos pontos de transição da música. Isso é, ela minimiza as alterações abruptas na dinâmica ou no ritmo de uma música e faz com que a canção ainda pareça com a original.

Além disso, o programa agora permite a exportação de múltiplas faixas para o Media Encoder, usando predefinições de formato e personalização de canal de áudio sem renderização ou complicações de diversos arquivos de mixagem.
(Saiba mais sobre as novas ferramentas do Audition CC)

Você pode conferir também as novas atualizações do Media Encoder e acompanhar os vídeos demonstrativos das novas ferramentas no canal da Adobe.

Fique de olho semana que vem no canal TreinaWeb no Youtube e Facebook , pois o nosso instrutor certificado Adobe, Bruno Baltarejo, está preparando aulas exclusivas sobre as principais atualizações do pacote Adobe foto e vídeo.

Curso de
CONHEÇA O CURSO

Certificação Internacional Adobe

O que é a certificação ACE?

A certificação internacional Adobe Expert, ACE, tem o intuito de comprovar a proficiência de um profissional no uso dos softwares Adobe. É um ótimo acréscimo ao seu currículo, portfólio, site profissional, comprovando que você domina a fundo o uso da ferramenta. É também uma etapa obrigatória para a certificação internacional Adobe Instructor, ACI, necessária para se tornar parceiro Adobe e também para ministrar aulas em centros autorizados.

A prova de certificação é administrada por uma empresa terceirizada, a PSI. Para tirar o certificado, é preciso se cadastrar no site da PSI e, através deles, comprar o exame. Por ser presencial, também é necessário escolher um dos centros autorizados da PSI e agendar um horário. Veja a lista de locais no final da matéria.

No site oficial da Adobe você encontra as principais informações sobre as certificações. Como as informações não estão muito claras, vou listar aqui nesta matéria tudo o que você precisa saber se tem interesse em ser um profissional certificado pela Adobe.

Antes de iniciar sua jornada de estudos e realizar as provas da Adobe é importante conhecer um pouco mais sobre as certificações, as vantagens e desvantagens, e se ela é realmente necessária para você. Antes de mais nada, esteja ciente de que a prova não está disponível em português, e sim em inglês ou espanhol. Além disso, as certificações são por versão do software, ou seja, se você tirar certificação do pacote CS, deverá se re-certificar na versão CC. Porém, há um detalhe meio desconhecido: as certificações da versão CS6 são vitalícias, já as do software atual, Creative Cloud CC, tem validade de apenas dois anos, o que significa que ao atualizar a versão ou vencer esse prazo de validade, é preciso refazer a prova.

Outra barreira que pode lhe desmotivar a fazer a prova é o preço – U$180 (sim em dólares) para a prova de certificação, e U$90 para as provas de re-certificação, e é claro, se não passar na prova não há reembolso. Uma dica para quem quer economizar é esperar a versão BETA da prova, que não tem custo, mas são limitadas a poucas pessoas por país, logo é bom ficar de olho nas redes sociais da Adobe para saber quando a inscrição para a versão BETA estará ativa, facebook e twitter.

Como é a prova?

A prova é realizada em um dos centros autorizados da PSI, que estão espalhados por algumas capitais brasileiras. O exame é realizado em uma pequena sala fechada, onde ficam apenas você, um computador com o software da prova e um ar condicionado, normalmente frio demais, mas mesmo assim é provável que você sue frio durante a prova.

O software exibe uma série de perguntas em múltipla escolha, por volta de 50 questões, que devem ser respondidas em um tempo cronometrado, em torno de 1 hora, mas como as provas não são em português, ganhamos uma hora adicional para ajudar na tradução das questões. As perguntas são em texto e raramente apresentam alguma imagem ilustrando, então você tem que compreender corretamente o enunciado e saber de cor como é a resolução no software. Algumas perguntas são sobre ferramentas, outras sobre teoria de uso, atalhos, e até algumas pegadinhas, então fique atento às opções de respostas para não cair nessas.

Você pode sair da sala de prova para tomar uma água ou ir ao banheiro, porém o tempo da prova continuará correndo e você não pode acessar nenhum computador ou celular. Assim que terminar a prova o resultado já está disponível, exceto para provas BETA, que levam cerca de seis meses. No resultado é apresentada sua porcentagem de acerto em cada tópico.

O exame de re-certificação possui menos perguntas, além de menor tempo para realização e menor custo também. O foco da prova são apenas as atualizações do software desde a última versão. Já a versão Beta da prova é mais complexa, composta por mais de 250 perguntas. Como você pode realizar o exame oficial mais de uma vez, se não passar de primeira a Adobe disponibiliza diversas questões, mas quem faz o teste da versão BETA deve passar por todas elas num período próximo a cinco horas de prova. A Adobe desconsidera as perguntas que possuem erros, além das que todos acertam, e a linha de corte é estabelecida pela nota média dos participantes.

Quais as vantagens?

Okey, eu sei que já assustei muitos de vocês, mas vamos entender quais são as vantagens de passar por toda essa jornada.
A primeira resposta mais óbvia é receber o certificado oficial e internacional. Além dele, são disponibilizados selos e credenciais, tudo em versão digital para ser usado em seu site, blog, currículo, mailing, etc.

Você também ficará listado no banco de profissas Expert ACE e, através dele, receber ofertas de trabalho.

Após realizar o teste ACE você pode se cadastrar no portal Adobe para parceiros e solicitar o certificado Instructor ACI. Para tanto, é preciso comprovar, através de documentação, que dá aulas em faculdades. Ao se tornar parceiro Adobe, você poderá fazer o download, de forma gratuita, de softwares como o Captivate, Acrobat, Master Collection CS6, entre outros. O pacote Creative Cloud continua sendo pago, mas no valor de professor.

Como ACI você também poderá fazer download de materiais para campanha de marketing, livros oficiais, softwares, ferramentas para realização de aulas e certificações para seus alunos. E ainda, ficará listado no banco de professores ou escolas ACI

Verdades e INverdades sobre a certificação

  • Quem é certificado é muito foda no que faz – Não necessariamente, a prova só comprova que sabe usar a ferramenta, não que sabe fazer coisas legais com ela. Por exemplo, um fotógrafo pode comprovar saber usar o Lightroom extensivamente, mas só fazer tratamentos bregas. Porém, o profissional estudou o suficiente para passar na prova, ele com certeza tem um grande domínio sobre o software.

  • Quem é certificado tem mais chances de emprego – Não é verdade também, a maioria das empresas vai avaliar o conjunto. Lembre-se sempre que o software é uma ferramenta para chegar a um objetivo final, e não o objetivo final em si. Além disso, é muito comum no mercado de trabalho a empresa contratante avaliar principalmente seu portfólio, com a apresentação de trabalhos já realizados, e seu comportamento em uma entrevista, tendo esses dois pontos mais força que a certificação, e muitas vezes mais que um diploma de graduação.

  • A certificação pode lhe ajudar na carreira de professor – Sim, este é o principal ponto, na minha opinião, para ter uma certificação Adobe.

  • Cursinhos online para certificados tem a fórmula mágica – Falso, falso, falso, há alguns cursos nacionais que dizem ter o método para você ser certificado, porém tem duração de poucas horas, menor que um curso básico da ferramenta. Para passar no exame você tem que, primeiro, dominar a leitura do idioma que escolher realizar a prova (inglês ou espanhol); depois, dominar a fundo as teorias sobre o software, as ferramentas, os comandos, menus e atalhos, que estão relacionados no conteúdo da prova. Mais abaixo na postagem há um link para o conteúdo das principais provas.

Como se preparar para a prova?

Para se dar bem na prova de certificação você deve dominar plenamente os tópicos citados no guia oficial do exame (listado abaixo), dominar o idioma e ter uma memória muito boa.

Antes do exame, tenha uma rotina de estudos rigorosa, leia livros do software no idioma que realizará a prova, veja muitos cursos EAD, evite aulas do youtube que não sejam de um profissional competente, para não aprender nada da forma errada. Use muito o software e somente no idioma que escolheu para a prova. Eu recomendo inglês, por ser a língua original do software e da prova. Abra todos os menus, todas as abas, todos os painéis e ferramentas. Se tiver algo que ainda não saiba para o que serve, procure no Help da Adobe ou em fóruns.

Vá relaxado para a prova, escolha o período do dia no qual você está mais disposto. Não se preocupe com o tempo, é o suficiente para fazer a prova duas vezes. Coma coisas leves e não beba muita água antes do exame, imagino que você saiba o porque.

O portal de cursos em EAD TreinaWeb oferece uma grande variedade de cursos sdos diversos software Adobe. É um ótimo caminho para avançar nos estudos, e tirar dúvidas sobre as ferramentas Adobe com os instrutores do portal.

Os 3 tipos de certificação:

Se você decidiu se preparar para a prova, agora é a hora de decidir por qual software começar e quais especializações irá buscar.

Single product certification – Indica que você é especialista em uma das ferramentas Adobe. Neste link você encontra as provas disponíveis para cada software da Adobe, o custo para realizar a prova (geralmente U$180), as linguagens disponíveis, além do link para agendar a realização do exame.

Ao clicar no nome do software que deseja tirar certificado aparecem dados sobre a prova, como o numero de perguntas (em média 50 perguntas por prova), linha de corte (geralmente 65% de acerto), e um PDF com a descrição completa da prova com os tópicos abordados, duração da prova e exemplos de questões. Segue abaixo os links para o PDF dos principais softwares:

Specialist certification – Indica que você é especialista em um conjunto de softwares que compõe um tipo específico de trabalho. Por exemplo, eu possuo a certificação Video Specialist. Para isso, tive que tirar as certificações de Premiere Pro, After Effects e Photoshop. Nesta imagem tem a relação das especialidades disponíveis:

Master certification – Você é uma pessoa muito fera e que conseguiu se especializar em TODAS as ferramentas da Adobe de uma determinada função. Nesta imagem tem a relação das certificações Master disponíveis:

Algumas cidades brasileiras que possuem centros de testes PSI para realização da prova:

Belo Horizonte – English Language Solutions | Rua Claudio Manoel, 1124 Conj,102 Funcionarios Mina Gerais,Belo Horizonte,30140-100

Campinas/SP – Lan University Centro | Treinamento e Consultoria em Tl e Idiomas,Av. Dr. Romeu Tortima, 531,Barao Geraldo,Campinas/SP

Fortaleza – Energy Telecom | Rua Canuto de Aguiar,1183-Meireles,Fortaleza,60160-120

Porto Alegre – Sisnema Informatica | Rua Washington Luiz, 820/601,RS 90,Porto Alegre,010-460

Rio de Janeiro – NSI Trng Technologia S/C | Rua Araujo Porto Alegre, 71-4andar,Rio de Janeiro,20030-012

Salvador – Dialogo Brasil | Rua Dr Joao Ponde 240,Bahia,Salvador,40140-810

Sao Paulo – Almeida e Galassi Recursos Humanos | SOHOFFICE NOVA LEOPOLDINA,Av Gastão Vidigal 1132, room 601 tower B, Vl Leopo,Sao Paulo,05076-000

Sao Paulo – InLearn Educacao Ltda | Rua Samuel Morse, 134,Sao Paulo,04576-060

Vitoria – Mindworks | Rua Fortunato Ramos,n 245 Ed. Praia Trade Center,Vitoria,29075

Passei, e agora?

Ao terminar a prova você receberá um documento com sua nota, porém ainda não estará certificado. As gravações junto com sua prova serão avaliadas pela equipe da PSI, e em alguns dias você poderá consultar sua aprovação e fazer o download do seu certificado no site da PSI. Então, no portal Adobe Certify Community será disponibilizado o download das suas novas credenciais e selos.

Para se cadastrar na lista de profissionais ACE é necessário criar um login no Adobe Certify Community, fazer uma atualização dos seus dados pessoais, e no final das configurações definir como YES no campo share your credentials.

ACE Certify Community

Para pedir a certificação para instrutores ACI, cadastre-se no portal de parceiros e faça uma requisição. Você deverá preencher uma série de dados pessoais e de sua empresa, e apresentar documentos de instrutor em faculdades.

ACI Partner Portal