Por onde começar ao trabalhar com animação?

No Brasil, um mercado que vem crescendo nos últimos tempos é o de animação. Centenas de curtas, séries, longas-metragens e filmes publicitários têm sido produzidos no país. Além disso, quem não conhece atualmente, pelo menos, uma animação brasileira de sucesso?

Em 2013 e 2014, o Festival de Annecy (maior evento de cinema de animação do mundo), na França, premiou os longas brasileiros “Uma História de Amor e Fúria”, de Luiz Bolognesi, e “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, respectivamente.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas que vão ajudar você a começar o trabalho com animação. Confira!

Domine os softwares da área

Existem vários tipos de programas de design, de ilustração, de pós-produção e de edição de vídeos. Alguns dos mais conhecidos são After Effects (que permite criar animações e efeitos especiais com foco em Motion Graphics), Adobe Animate e Toon Boom, próprios para animação.

Cada software possui ferramentas diferentes, direcionadas a um tipo de trabalho, seja ilustração, animação 2D ou 3D. Com tantas opções, além de continuar estudando para se atualizar sobre novas versões, é essencial saber diferenciar as ferramentas, aprofundar seus conhecimentos em, pelo menos, uma delas e escolher as mais adequadas para cada projeto.

Aprenda com outros projetos

Nada melhor do que se inspirar em bons trabalhos que já foram feitos para aprimorar suas habilidades, não é mesmo? Para isso, faça o seguinte exercício: escolha uma das suas animações preferidas e pense por que ela te agrada tanto, assista aos making ofs, procure quem são os profissionais envolvidos no projeto, e siga os trabalhos nas mídias sociais.

Analise quadro por quadro do vídeo, vá observando o tempo e o posicionamento de cada elemento, como é o timing do movimento, quais sãos as ações secundárias e expressões dos personagens, como esses elementos se combinam para criar o resultado final, e depois aplique as mesmas técnicas nos seus próprios estudos e trabalhos.

Invista em cursos de capacitação

Embora sejam poucos os cursos voltados para a área que avancem além do básico, ainda assim, existem boas instituições e profissionais que oferecem capacitação. É fundamental levar seus estudos além do autodidatismo, afinal, a animação evolui há anos, mesmo antes da criação do vídeo já haviam formas primitivas de animação, e somente bons cursos poderão lhe agregar anos de conhecimento e avanços.

Além disso, é fundamental fazer cursos de capacitação com frequência para descobrir coisas novas e se manter atualizado. Lembre de levar seus estudos além do software, pois essa é apenas uma ferramenta. A animação envolve linguagem, roteiro, storytelling, ilustração, e muito mais.

Para melhorar suas skills de animador, treine muito seu olhar! Estude suas animações favoritas, pinturas, esculturas, filmes e até mesmo o movimento da vida real; as pessoas caminhando pela rua, o movimento do trânsito, do seu animal de estimação ou da pessoa que você ama.

Conheça os 12 princípios da animação

O mundo da animação tem algumas regras básicas que todos devem seguir na hora de produzir um trabalho de qualidade. São 12 princípios que visam trazer movimentos e ações do nosso cotidiano para a esfera digital.

Conheça agora cada um deles e procure estudá-los bastante:

  • comprimir e esticar;
  • antecipação;
  • encenação;
  • animação pose a pose ou direta;
  • sobreposição e continuidade da ação;
  • aceleração e desaceleração;
  • movimento em forma de arco;
  • ação secundária;
  • temporização;
  • exagero;
  • desenho volumétrico;
  • apelo.

Pesquise bastante

Antes de começar uma animação, trace todos os detalhes da história. Pense como será a aparência dos personagens, quais suas características e a narrativa em que estarão inseridos. Defina a história de vida do personagem anterior ao filme, o mundo no qual ele vive e as regras e dinâmicas desse lugar. Busque diferentes referências artísticas (pinturas, arquitetura, filmes, vestuário), atuais ou históricas, que dialoguem com o argumento da animação.

Monte um bom portfólio

Sempre que possível, produza suas animações. Além de evoluir sua técnica e seu olhar, você vai construindo um portfólio consistente que pode ser apresentado a empresas e profissionais do ramo para buscar oportunidades de trabalho, seja fixo ou freelancer. Criando bons projetos, o mercado vai começar a notar e valorizar sua obra.

Construa um networking forte

Sem uma boa rede de contatos é impossível crescer. Por isso, participe de eventos para conhecer artistas, estúdios e produtoras. Busque comunidades de animadores na internet para se inspirar, trocar informações e colaborar com outros projetos.

O mercado da animação audiovisual é fascinante, especialmente para quem já é apaixonado pela área, mas também cheio de desafios. Logo, é importante estar bem preparado para começar a trabalhar.

Para aprender sobre audiovisual, animação, edição, pós-produção e muito mais, inicie já seus estudos com nossos cursos online.

Esperamos você!

Deixe seu comentário

Estudante de Cinema, trabalha com produção e edição de vídeos.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PROFISSIONAIS DE AUDIOVISUAL