Introdução à imagem digital

Apontar a câmera do celular ou de uma câmera profissional já se tornou um movimento automático para a maioria de nós, mas para atuar no mercado audiovisual, é necessário entender a base: a imagem digital.

A fotografia já existe há um bom tempo, tendo seus primeiros experimentos na área ainda de maneira analógica no fim do século XIX e começo do século XX.

A imagem digital, porém, é o resultado da transformação que a Terceira Revolução Industrial. Por meio da aplicação das mais recentes pesquisas em eletrônica, conseguimos transformar o processo analógico de produzir imagens em um processo digital, isto é, codificado para ser entendido eletronicamente.

No post de hoje vamos falar sobre alguns pontos que definem a imagem digital como a gente tem contato com ela: vamos falar do que é a imagem digital, a câmera que produz esse tipo de imagem, bem como vamos falar sobre os itens que compõem e definem a imagem, como o pixel e a proporção de tela.

O que é a imagem digital?

Via de regra, a definição de imagem digital é:

A representação de uma imagem bidimensional através de um conjunto de códigos binários que de modo que seu armazenamento, transferência, impressão, reprodução e processamento possam ser feitos eletronicamente.

A interpretação dessa imagem será feita por um software, que fará a exibição do conteúdo da imagem em um display, seja ele o da própria câmera, a tela do computador, da TV ou do celular.

A câmera digital

A câmera digital gera as imagens a partir da luz que chega ao seu sensor — num processo muito próximo ao já descrito para fotografia analógica. Cada sensor tem uma fotocélula diferente que capta um espectro de luz diferente, sendo cada uma delas ajustada à frequência do azul, do verde e do vermelho.

Cada fotocélula vai produzir um código diferente a partir da quantidade de luz que recebe, fazendo assim uma espécie de “mosaico” com milhares de combinações de cores possíveis dentro da tecnologia digital.

Vale lembrar que: a imagem digital é uma representação porque ela se está presa às limitações de captação de cor e definição da sua câmera, bem como se limita às limitações de exibição dessas mesmas qualidades por parte do seu monitor.

A composição da imagem

A imagem digital é composta de vários “quadradinhos” coloridos, que são chamados de pixels.

O pixel é:

a menor unidade que compõe uma imagem digital.

O pixel é como um pedaço muito pequeno que compõe o “mosaico” que falamos anteriormente, contendo a informação de luz que citamos sobre aquele pequeno pedaço da imagem.

A quantidade de pixels que uma imagem tem vai depender da quantidade de fotocélulas que a câmera que fez aquela imagem tem. E quanto mais pixels, maior a resolução da imagem que foi feita.

Por exemplo, a resolução Full HD é composta por um quadro de 1920 pixels (px) de largura e 1080 pixels (px) de altura. A multiplicação da largura pela altura, fornece o valor de pouco mais de 2 milhões de pixels, ou 2 megapixels (MP): essa seria a resolução máxima de uma imagem Full HD.

A resolução da imagem

A resolução da imagem está bastante relacionada a dois fatores, como a gente já falou anteriormente: sua câmera e o seu monitor. Ambos têm limitações que influenciam na nitidez aparente que uma imagem vai ter.

Quando falamos de imagem impressa por exemplo, a unidade usada para medir a resolução da imagem é o dpi, ou dots per inch — pontos por polegada. No caso da imagem digital, principalmente quando falamos de telas nas quais a imagem vai ser exibida, a medida utilizada é o ppi, ou pixels per inch — pixels por polegada.

A questão quanto a essa medida é a densidade de pixels por polegada, já que quanto maior a área da tela, menor será a quantidade de pixels por polegada.

Num exemplo, uma imagem que tenha a resolução de 1920px e que vai ser exibida em uma tela de aproximadamente 20 pol (50cm) terá 96ppi de densidade de pixels. Se a mesma imagem for exibida em uma tela que tem aproximadamente 4 pol (10cm), a densidade de pixels será muito maior, algo próximo a 480ppi.

O que isso significa: a imagem da tela menor parecerá mais nítida do que na tela maior, ainda que a resolução da imagem em si não mude.

A proporção de tela

Uma outra informação que pode ser retirada a partir da relação dos pixels em sua altura e largura é a proporção de tela.

A proporção de tela é o resultado da divisão da altura e da largura por um Máximo Divisor Comum — você lembra? O MDC de 1920 e 1080 é 120.

Ao dividir tanto 1920 e 1080 por 120 você encontra 16 e 9, números que dão o nome para a proporção de tela que define esse padrão, o 16:9 — no caso, o Full HD do exemplo acima.

A proporção de tela varia muito de equipamento para equipamento, além de variar também dependendo do uso: aquela foto tradicional que você revelava em shoppings ou óticas usa a proporção 2:3 ou 10x15cm, ou seja, a imagem é composta por duas partes de cinco centímetros e 3 também de cinco centímetros.

Nas mídias sociais, por exemplo, o formato 1:1, quadrado, é bem comum, principalmente em redes como o Instagram — que também aceita o formato 9:16, o famoso “celular de pé” de foto.

Essas são as primeiras características que você deve saber antes de trabalhar com imagem digital e entender como elas vão alterar o seu trabalho.

A gente se vê no próximo post sobre imagem digital.

Deixe seu comentário
Share

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.