Criatividade e Bloqueio Criativo: Como lidar?

O cursor está piscando, e de repente você se vê sem conseguir fazer aquilo que você faz de melhor: criar.

Todo mundo que trabalha com algum setor que lide com empreendedorismo ou criatividade já passou por esse tipo de situação pelo menos uma vez durante a carreira: é um roteiro que não sai, uma imagem que fica estranha. As coisas parecem bastante fora do lugar e você simplesmente não consegue produzir.

Por mais ruim que seja, de certa forma, o bloqueio criativo é um fenômeno bastante normal dentro de trabalhos que exigem soluções criativas. Ele é uma condição psicológica que acaba por interferir na sua produção fazendo com que ela diminua ou pare. E, num mundo de prazos e deadlines, isso pode ser bastante ruim para o desenvolvimento do seu trabalho — principalmente se esse bloqueio dura por muito tempo.

As causas

Motivação

Quando a gente começa algum projeto, seja ele qualquer, é comum ficar muito empolgado com a sua execução, e tudo parece já estar muito determinado a dar certo e você consegue visualizar o projeto inteiro numa tacada só.

A grande questão aqui é o tempo: existe um ritmo e um tempo para que cada coisa dentro do seu projeto ocorra, e se manter motivado enquanto esse processo acontece é o que pode ser determinante entre um fluxo de ideias que te permita trabalhar ou um bloqueio criativo.

A falta de motivação está entre as principais causas de bloqueio: sem algo que “te puxe” em direção ao seu objetivo fica muito mais fácil se perder no meio do caminho e acabar não produzindo nada.

Perfeccionismo

Esse é um impeditivo muito comum com quem quer sempre entregar o melhor projeto possível, mas algo precisa ser dito a esse respeito: grandes ideias não são concebidas logo de início. Poucas, na verdade, aconteceram assim.

Contudo, a ideia de construir projetos inteiros sem defeitos, sem problemas ou contratempos é uma ilusão, principalmente quando se trata do meio audiovisual, em que muitos projetos são feito por mais de uma pessoa, e esse tipo de pensamento tem levado muitos produtores de conteúdo a um burnout de suas ideias.

O brainstorming, por exemplo, parte do princípio de que boas ideias nascem da interação e do aperfeiçoamento conjunto. É o processo de tomar uma ideia bruta e lapidar até que ela tome o formato mais adequado ao propósito que foi estabelecido.

Nenhuma ideia nasce perfeita e elas precisam sempre ser aprimoradas com tempo e trabalho.

Medo da perda de qualidade

Chega um ponto da sua carreira dentro do audiovisual que você já realizou diversos tipos de trabalhos e isso é uma coisa boa. Você vem produzindo um conteúdo que é reconhecido e que tem relevância dentro do meio. É uma sensação incrível quando esse tipo de coisa acontece e você vê que seu esforço teve um resultado positivo.

Mas, muitas vezes, a vontade de realizar novos trabalhos que tenham esse alcance vira medo de que seu trabalho perca a qualidade que ele já apresentou um dia.

Eu sei o quanto isso soa como autoajuda, mas não é: na busca pela inovação em linguagem e produção não é incomum a gente transformar a vontade de fazer diferente em uma pressão de que você precisa fazer a mesma coisa que você já fez em outros trabalhos e atingir os mesmos graus de sucesso.

Isso faz com que você se torne excessivamente seletivo e acabe deixando de lado ideias que poderiam ser incríveis se fossem melhor desenvolvidas e trabalhadas em seu devido tempo. Isso porque você acredita que elas não se comparam à qualidade de uma outra que teve mais sucesso.

É como se a gente se esquecesse, por alguns momentos, que audiovisual é feito de tentativa e erro, e que nem sempre o seu texto, vídeo ou áudio vai ficar da maneira que você quer e…tudo bem.

Rejeição

Não é incomum também ver profissionais que são bons em suas áreas e que tem o conhecimento necessário para executar tarefas incríveis, mas que ficam limitados pelo medo da rejeição e do que o mercado ou outros profissionais pensarão a respeito do trabalho que é desenvolvido por eles.

Esse tipo de pensamento faz com que você deixe de expor e construir em conjunto com outros profissionais que podem acrescentar e muito à sua produção. A crítica sempre vai acontecer, mas é importante tentar crescer com ela e não permitir que os apontamentos feitos por outros profissionais intimidem você, mas que sejam o encorajamento necessário para a inovação do seu conteúdo criativo.

O medo de ter seus projetos rejeitados enche a sua mente de dúvidas quando ela deveria estar cheia de ideias.

A dificuldade da escolha

Quando a gente tenta começar algum projeto diferente, seja ele qual for, um texto, um vídeo ou um áudio, é um pouco difícil determinar por onde ele vai caminhar ou qual é a abordagem que ele vai tomar a partir daí.

É geralmente nesse momento que o bloqueio acontece: você tem muitas opções as quais seguir e o excesso de pensamento, associado à noção de que tudo tem que dar certo de primeira, acaba fazendo com que você não saia do lugar. Você não sabe se aquele é o tipo ideal de transição para o seu vídeo, ou se o balanço do áudio está interessante ou se aquele parágrafo do seu texto não é um pouco redundante…e aí você trava.

Uma das maneiras de lidar com isso é ir para ação: se é um texto o que precisa fazer, simplesmente escreva; se é um vídeo, vá e grave; um áudio, capte como achar que fica melhor.

O excesso de planejamento, tentando controlar cada aspecto criativo é uma das coisas que mais mata sua própria criatividade: um pouco de improviso ali, na hora, pode ser um dos seus maiores aliados contra o bloqueio.

A rotina

Ter uma organização para cada coisa que será desenvolvida durante o seu dia enquanto produtor de conteúdo é muito bom para poder cumprir com os prazos e com as metas que você tem. Mas uma rotina deve ser muito bem pensada para não ficar entediante: o tédio também está na lista de grandes problemas para a criatividade.

Então, é interessante inserir um momentinho no seu dia para se distrair um pouco. Pode ser aqueles 10 minutos em que você assiste um vídeo engraçado na internet ou joga um joguinho que goste.

Quebrar a rotina, de vez em quando, é uma das formas de não deixar as coisas caírem numa mesmice que deixa tudo sem graça e você desanimado.

Como resolver

Ouvir música

Em tempos de plataformas de streaming de músicas, nunca foi tão necessário colocar a mente para trabalhar com músicas que você gosta de ouvir: a música tem um poder incrível de motivar e instigar você a fazer seu trabalho de maneira criativa.

Se você tiver como usar fones durante o seu trabalho, separe aquela playlist que faz você se sentir bem e aprecie o som: há playlists para todos os moods que você vai precisar para desenvolver o seu trabalho — e, com certeza, ele vai parecer bem mais leve e fácil de ser realizado.

Exercícios físicos

Por mais que essa não seja uma propaganda de uma rede de academias, entender que seu cérebro é uma parte do seu corpo te dá uma dimensão de que, para que ele funcione da melhor maneira possível, você precisa estar com uma saúde legal.

A prática de exercícios físicos tem se mostrado um grande fator para oxigenação do seu cérebro e para o bom funcionamento dele: quem nunca parou de fazer o que estava produzindo e saiu para uma caminhada e, na volta, conseguiu resolver a situação?

Tente encaixar, assim, em algum momento da sua semana uma corrida ou algum tipo de prática esportiva que você goste.

Dormir bem é essencial

Outra coisa que acontece muito com quem trabalha com audiovisual é ter uma rotina de sono completamente bagunçada. Claro que a gente entende que nem sempre você vai conseguir dormir muitas horas, mas se você precisa desenvolver atividades que envolvam criatividade, é fundamental entender que o cérebro precisa de um descanso, e isso só vem através do sono.

Virar noites achando que uma ideia fantástica vai brotar pode não ser tão efetivo quanto investir em uma boa noite de sono. Os dados mais recentes, como os que foram revelados por instituições como Associação Mundial de Medicina do Sono mostram que a privação de sono tem efeitos sobre a saúde mental e processos que envolvem o pensamento, a aprendizagem e memória.

Dessa forma, não dormir não só atrapalha o seu processo criativo, bem como atrapalha o seu processo de produção, o que aumenta ainda mais os prejuízos ao seu trabalho.

Exercitar a mente

E assim como há práticas que cuidam da parte física do corpo, existem atividades que fazem com que seu cérebro desenvolva as capacidades criativas que você tem: palavras-cruzadas, pintura, Lego, desenho, entre outras coisas podem ser desenvolvidas como atividades para que você aprimore sua criatividade.

Esse tipo de tarefa, quando estão fora da pressão e da exigência de serem consideradas um trabalho, acabam se mostrando muito úteis para que o seu cérebro explore soluções e caminhos que você não percebe e que podem ajudar dentro do seu trabalho.

Inspiração

A inspiração é um conceito complicado, ainda que todo mundo saiba o que é, mas que ninguém saiba definir muito bem. Ela se difere um pouco da motivação por ser um conceito um pouco mais abstrato e por caminhar mais no mundo das ideias.

Sua motivação pode ser lançar um grande filme, por exemplo. Mas a sua inspiração pode ser um grande diretor(a) ou outras obras que atingiram o patamar que você quer atingir com a sua produção.

Manter-se inspirado é uma das maneiras mais efetivas de combate ao bloqueio criativo: é a inspiração que te aponta em direção à criatividade.

Muitas pessoas admiram o trabalho de personalidades ou pessoas famosas e reconhecidas no meio, ou ainda gostam de frases dessas pessoas que já passaram pelo audiovisual, por exemplo — coisas que simplesmente as fazem sentir bem.

Todo mundo tem algo que inspira a vontade de fazer o que a gente faz: seja um(a) diretor(a) de cinema, um(a) grande propagandista ou ainda um(a) escritor(a) de sucesso.

Falar sobre inspiração beira muito o pessoal, mas profissionalmente a dica é manter esse tipo de sentimento e memória sempre muito próximos: lembrar daquilo que te inspira é manter a criatividade sempre ativa.

Pense no seu ambiente de trabalho

Você precisa estar confortável no lugar onde você tem que ser criativo: não é à toa que muitas empresas têm mudado a lógica de trabalho em relação ao ambiente no qual os colaboradores ficam. O ambiente exerce, sim, influência na sua criatividade.

Uma das formas de fazer isso é tornar esse ambiente agradável e inspirador, seja espalhando bilhetinhos com frases que você gosta, fotos de pessoas que você gosta ou objetos que possam fazer com que você fique bem com o lugar onde você está e que te lembrem do porquê você está ali. Promover a transformação do seu local de trabalho também é uma das formas de evitar que você tenha um bloqueio criativo.

Às vezes, uma mudança de local pode ser o diferencial para a solução de um problema criativo que você está tendo e isso pode ser facilmente contornado mudando os itens da sua mesa, sala ou escritório, ou ainda indo para um lugar mais reservado.

O importante aqui é o quão favorável a novas ideias o seu ambiente é.

Novos ambientes ou ambientes renovados costumam levar a novas ideias.

Uma pequena pausa

Dentro da nossa rotina, as coisas podem se tornar bastante carregadas e forçar ideias nesse clima não é algo muito produtivo.

Assim, mesmo que você esteja com o prazo um tanto apertado, dê uma pequena pausa e faça outra coisa como ir tomar um ar — ou, quem sabe, um café.

Porém, é preciso cuidado: você não pode simplesmente parar tudo por muito tempo, senão os prazos se apertam e você começa a trabalhar na correira, o que também não favorece um trabalho criativo. Além disso, para que as soluções surjam é interessante que você trabalhe em cima do seu projeto: a pausa é boa para a criatividade, mas a falta de ação é justamente um empecilho para ela.

Evite distrações

Normalmente estamos conectados a muitas coisas no nosso dia a dia e fazemos mais de uma coisa ao mesmo tempo. O resultado disso é que você se distrai com maior facilidade e isso pode ser bem prejudicial para sua criatividade. WhatsApp, Instagram, YouTube, gerenciar sua equipe, produzir seu conteúdo e por aí vai: o dia a dia de quem trabalha com audiovisual costuma variar entre muitas tarefas e processos que precisam ser realizados, o que acaba dividindo o seu foco.

Quando se fala de criatividade, é importante manter o foco para que as suas ideias possam ter um certo fluxo.

Dessa forma, desconectar um pouco de mensageiros, caixa de e-mails ou outras formas que te distraem quando você está fazendo algo que exige que você seja criativo pode ser muito produtivo. Por mais que a criatividade se desenvolva num ambiente e clima mais relaxado, isso não significa que você não precisa estar focado naquilo que você precisa ser criativo.

Comece uma leitura

Cultivar hábitos de leitura é uma das formas de manter sua criatividade sempre ativa e funcionando.

Por mais que a realidade seja muito audiovisual — para nossa sorte enquanto produtores desse tipo de conteúdo —, é muito importante manter a mente sempre com coisas novas em termos de textos: se você parar para pensar por um instante, muitos filmes como Orgulho e Preconceito(2005), Precisamos falar sobre o Kevin (2011) e O Grande Gatsby (2013) nasceram primeiro como obras literárias e foram adaptados para as telonas.

Uma boa leitura cria imagens mentais que acabam por estimular a criatividade a se desenvolver, além de enriquecer o vocabulário e fazer com que você conheça novas histórias e se inspire com elas: algo que agrega muito para quem cria conteúdo.

Compartilhe

Essa é uma dica de ouro para quem está travado na criatividade: comentar com alguém até onde você conseguiu ir com seus trabalhos, quais são os impeditivos que tem passado e quais são as dificuldades é uma das formas de compartilhar seu conteúdo e maneira de pensar de modo que outras pessoas possam te ajudar com isso.

Uma conversa pode muito ajudar você a recomeçar de onde parou ou reformular uma ideia.

Então, leia seu texto para alguém, compartilhe a prévia do seu vídeo ou mande o áudio para um colega e peça para que faça comentários ou elabore perguntas.

Construir conteúdo de maneira coletiva ainda é a forma mais efetiva dentro do audiovisual e ajuda a tirar um pouco da pressão que se exerce em direção a “ser criativo o tempo todo”.

Bloqueio criativo ≠ ficar parado

Uma coisa é fato: todo mundo tem bloqueios criativo, como já dissemos. Mas como cada pessoa lida com isso é o que determina como a criatividade dessa pessoa irá se desenvolver com o tempo.

A criatividade é uma habilidade, e como toda habilidade ela precisa de prática.

Ainda que você não consiga em determinado momento realizar alguma tarefa na qual a criatividade é necessária, tente abordar essa situação de maneira diferente e utilize uma das dicas que demos mais acima. Tentar fazer diferente já é um grande passo que te ajuda a evitar o bloqueio criativo. Se você deixa que o bloqueio te pare em termos produtivos, você não sairá da sua zona de conforto, bem como não conseguirá alcançar resultados melhores.

O exercício da sua criatividade deve ser um esforço constante dentro de um círculo virtuoso, que melhora a cada volta e é nisso que você tem que focar.

Deixe seu comentário
Share
João Leite

Escritor e redator, formado em Rádio e Televisão pelo Complexo FIAM-FAAM, apaixonado por literatura e observador míope do espaço sideral.